Clicky

Convergência Digital - Home

Havaianas priorizaram data analytics da SAP para enfrentar a crise

Convergência Digital
Ana Paula Lobo* - 15/06/2020

Aos 113 anos, a Havaianas teve uma prova que é uma marca de identificação emocional muito forte com todas as camadas sociais do Brasil a partir da pandemia de Covid-19, afirmou o CEO das Alpargatas, Roberto Funari, ao participar de uma live com a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka, sobre Liderança e transformação em tempos desafiadores, a economia da experiência no ‘novo normal’, nesta segunda-feira, 15 de junho, no SAPPHIRE NOW Reimagine, que pela primeira vez, está tendo uma versão 100% digital.

“Detectamos que não só no Brasil, mas em muitos lugares, todo mundo tinha uma havaiana para ficar em casa e uma para ir à rua. Na China, batemos recorde de vendas. No Brasil, redescobrimos o e-commerce na parte de higiene e limpeza”, contou Roberto Funari. À presidente da SAP Brasil, Funari reportou que, tão logo a crise eclodiu na China no começo do ano, a Alpargatas decidiu atuar na pandemia baseado em três pilares, considerados essenciais.

São eles: o apoio a sociedade ao entender que era preciso dar todo apoio possível aos colaboradores; apoio a saúde dos negócios, com a preservação do ecossistema e da continuidade dos negócios e a governança, com os times atuando remotamente de forma integrada não apenas dentro da companhia, mas também com todo o ecossistema. “As empresas estão passando por um grande teste de reputação, nunca elas estiveram tão expostas. A covid-19 determinou que era hora de se colocar o que se pregava como valores na prática efetiva. Era fazer para ser lembrado mais à frente”, salientou o CEO.

Toda a transformação passou também pela necessária atualização do uso da tecnologia, a principal habilitadora da economia da experiência. “O jogo ficou decisivo. Usamos ainda mais a análise de dados. Percebemos que as havaianas se tornaram um produto essencial. Percebemos que empatia gera empatia. Houve um engajamento digital com as nossas ações”, adicionou Funari. A matéria completa pode ser lida na Agência SAP NOW.


Destaques
Destaques

Multinuvem do Serpro vai concorrer com a do Ministério da Economia

Estruturada a parceria com AWS, Huawei e Azure, da Microsoft, estatal passa a disputar contratos com órgãos públicos, em briga direta com nuvem licitada e gerida pela Secretaria de Governo Digital.

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site