INOVAÇÃO

Fintechs incubadas pelo BC já encontram negócios no sistema financeiro

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/03/2019 ... Convergência Digital

Dez meses depois de lançado pelo Banco Central, o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas, ou Lift, apresentou 12 projetos transformados em protótipos. Com uso de inteligência artificial, aprendizado de máquina, blockchain e outras inovações, as fintechs incubadas pelo programa atendem correntistas e o próprio sistema financeiro – em demandas que já começam a virar contratos com bancos.

Para o presidente do BC, Roberto Campos Neto, essas ferramentas digitais reduzem custos e ampliam o acesso ao mercado financeiro. “A tecnologia promove a inovação financeira. Para o sistema financeiro, esse movimento significa democratizar, digitalizar, desburocratizar e desmonetizar”, pontuou durante a abertura do ‘Lift Day’ nesta quarta, 27/3.

O Lift é um laboratório virtual que promove uma espécie de incubação online de projetos, com troca de ideias que vão aproximando as ideias de demandas reais e com suporte de grandes empresas de TI como Microsoft, IBM, AWS e Oracle. Em maio de 2018, quando foi lançado, recebeu 79 propostas. Houve uma seleção inicial de 18 delas, reduzidas para 12.

Entre elas há soluções como o Crédito Ideal, que usa um sistema de inteligência artificial para refinar informações sob medida para empréstimos. Ela pode funcionar tanto para garantir que tanto tomador como banco simulem operações e tenham mais informações sobre o negócio. “São dois elementos importantes, cidadão e banco, sendo que um não tem informação sobre o outro”, diz Joilson Giorno, um dos sócios da PhDRisk, que desenvolveu a ferramenta.

Ele revela que já tem acordos com o banco Bradesco, onde o sistema faz monitoramento de crédito de 200 mil pessoas, e com a Ailos, uma cooperativa de crédito de Santa Catarina. Na capital para o Lift Day, já apresentou o sistema para o Banco de Brasília e sonha com um acordo com o próprio Banco Central. “O BC possui informações, mas elas não estão automatizadas. Seria uma outra forma de usar o Crédito Ideal para reduzir a assimetria de informações e derrubar os juros”, completa Giorno.

Também no laboratório do BC, mas escorada em 15 anos de estrada, a Instant Solutions apresenta uma ferramenta que usa aprendizado de máquina para verificar a qualidade de atendimentos telefônico ao consumidor ou potenciais clientes. Trata-se de ouvir conversas gravadas de call centers e verificar se o atendimento é correto. A proposta é de que no lugar de escolhas aleatórias, a IA da Instant consegue indicar aquelas com maior probabilidade de problemas.

“Hoje, as áreas de compliance escolhem uma ou outra ligação em busca de termos que não podem ser utilizados, por exemplo. É de forma aleatória e nada garante que são aquelas que precisam ser ouvidas. Com aprendizado de máquina e um modelo matemático conseguimos verificar essa conformidade. E alertar para que a auditoria seja feita sobre as recomendadas”, explica o diretor e fundador da empresa, Paulo Mannheimer.

Também estão no programa Lift um sistema de georeferenciamento para crédito rural, pagamentos usando P2P, e várias ferramentas com diferentes usos da tecnologia blockchain para operações de crédito ou para a realização de transferências. O Banco Central já decidiu que terá uma nova edição do laboratório.


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Serviços de voz estão mais vivos do que nunca na jornada digital

Quem pensa que os serviços de voz serão secundários está cometendo um erro, pontuou Douglas Silva, executivo da AWS. "Acreditamos que nos próximos 24, 36 meses a voz vai evoluir de apenas serviço informacional para transacional".

Febraban: o céu é o limite para modelos de negócios com blockchain

A blockchain bancária é ainda uma produção pequena, mas é um marco para o setor, observa o diretor setorial de Tecnologia da Febraban, Gustavo Fosse. Sobre o Open Banking, a única certeza é que ele vai vir e já no ano que vem.

Distributed Ledger: open source e blockchain unem esforços

Para o diretor de DCX das Capgemini, Thiago Nascimento, a tecnologia de livro-razão (Distributed Ledger) será disruptiva e exigirá a interoperabilidade do setor financeiro.

Biometria é o ‘empurrão do governo’ para aumentar a bancarização

Inclusão financeira passa por ações mais efetivas do governo, como aconteceu na Índia, afirma diretor-geral da Tata Consultancy Services no Brasil, Tushar Parikh.

BBTS quer ser a integradora dos pequenos bancos no open banking

Para a BBTS, o novo modelo de atuação do sistema financeiro exige aportes que nem todas as instituições financeiras terão fôlego para fazer.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G