Clicky

NEGÓCIOS

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

Ana Paula Lobo ... 20/07/2020 ... Convergência Digital

Se o bitcoin fracassar, o blockchain como desenhado como plataforma aberta, morre abraçado, adverte o CEO da FastBlock, Bernardo Schucman, que há oito anos trabalha com blockchain e bitcoins, e que, hoje, mora nos Estados Unidos. O mais recente ato da sua empresa- especializada em mineração como serviço - foi a compra de um data center, em Atlanta, nos Estados Unidos. O espaço possui mais de 25.000 metros quadrados e é suficiente para dar conta da nova base, que opera 20 Megawatt de carga.

Por que Atlanta, nos EUA, e não um data center no Brasil? Bernardo Schucman é objetivo: Nos Estados Unidos, há regulamentação para bitcoins, o imposto é regulamentado; o setor industrial é regulamentado e a energia é muito mais barata. No Brasil, não há regulamentação e pior: há um estigma de que o bitcoin é 'coisa de bandido'. 

Até o fim do ano, a expansão do data center em Atlanta deve permitir chegar a uma potência de mais 30 megawatt, totalizando 50 megawatt de potência atribuída. Essa evolução será possível graças aos 4500 equipamentos instalados e aos 20 funcionários, entre eles engenheiros, que estão trabalhando na operação do data center. Desde o início do ano, a FastBlock já minerou cerca de 400 bitcoins.

No Brasil, salienta o CEO da FastBlock, o operador de mineração é classificado, na maior parte das vezes como um golpista financeiro. "E infelizmente, o velho negócio financeiro não tem nenhum interesse em quebrar esse estigma", relata Bernardo Schucman. Segundo ele, o Brasil poderia criar um polo de mineração perto de Itaipu, um antigo desejo pessoal. "Mas não avançou. Nos EUA, a Georgia construiu duas usinas atômicas para, entre outras ações, atrair a inovação da ciência de computação. Na verdade, Atlanta, hoje, pode ser considerada a Serra Pelada do minerador de bitcoin", adiciona.

Ao ser questionado do porquê de as bitcoins estarem ligadas ao cibercrime, o CEO da FastBlock lembra que o dólar é a moeda mais usada para pagamento de ações ilegais; as pirâmides financeiras estão ligadas às instituições bancárias e as empresas mais golpistas do mercado operam no mercado aberto. "O golpe do boleto acontece há anos e se perpetua. Por que? porque interessa ser assim. As bitcoins são usadas como qualquer outro meio para o ilegal, mas ficaram estigmatizadas. Repito: se a bitcoin fracassar, o blockchain afunda junto, abraçado", adverte Schucman.

No caso da FastBlock, por exemplo, uma das formas encontradas para 'quebrar' o estigma do bitcoin foi o de investir em auditoria, feita pela BDO. Hoje, são mais de 50 mil bitcoins mineradas e auditadas para investidores. "O Blockchain foi a primeira criação da ciência da computação intangível. É algo completamente diferente do que temos. Como meio de pagamento, precisa de tempo para se consolidar", sinaliza. Sobre a volatilidade da bitcoin, Schucman orienta: os interessados em investir em bitcoin precisam antes entender o que é a bitcoin para depois apostar nela.


Cloud Computing
TecCloud reforça segurança de dados com a Palo Alto Networks

Fornecedora de serviços de data center e infraestrutura contratou dois clusters de firewall para reforçar a confiabilidade da transmissão de dados para clientes da saúde e financeiro.

Intelbras quer R$ 1,242 bilhão com IPO e ir às compras para crescer

Empresa, com sede em Santa Catarina, lançou o segundo protocolo na CVM para fazer a sua oferta pública de ações no mercado. Objetivo é avançar em software e hardware como serviço para expandir atuação n varejo.

Diebold Nixdorf: Dinheiro em espécie não vai morrer tão cedo

Fabricante de ATMS aposta na renovação do parque com a adoção de recicladores, capacitados para contar as cédulas depositadas, substituindo o processo atual, no qual o dinheiro é depositado em envelopes.

Nuvem e notebooks impulsionam cresimento de 20% para Informática em 2021

Há uma forte demanda por servidores e storage, revelou o diretor de Informática da Abinee, Maurício Helfer. "O custo da pandemia já foi pago em 2020", afirmou o presidente da Abinee, Humberto Barbato.

Open Source: falta de atualização abre brecha para ataque hackers

Pesquisa global apura que 91% das bases de código auditadas em 2019 continham componentes de código aberto que estavam desatualizados há mais de quatro anos ou não tiveram nenhuma atividade de desenvolvimento nos últimos dois anos.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G