GESTÃO

Polícia Federal e PGR discutem integração de sistemas eletrônicos

Convergência Digital* ... 17/08/2020 ... Convergência Digital

O procurador-geral da República, Augusto Aras, reuniu-se com o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, para tratar da assinatura de um termo de cooperação para integrar os sistemas eletrônicos das duas instituições.

Souza afirmou que a Polícia Federal caminha para ter todos os inquéritos digitalizados, por meio do novo sistema ePol, e que aposta na tecnologia como único meio de conciliar rapidez e profundidade nas investigações criminais. A Reunião aconteceu na sexta, 14/8. 

Também participaram do encontro, realizado na Procuradoria-Geral da República (PGR), o vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, o corregedor-geral da PF, João Vianey Xavier Filho, o secretário de Segurança Institucional da PGR, Marcos Ferreira, e o secretário-adjunto de Tecnologia da Informação e Comunicação, Paulo Moura – que colocou à disposição da PF a expertise do Ministério Público Federal em interoperabilidade de sistemas, já que o sistema eletrônico usado pelo MPF, segundo Moura, “conversa” com todos os sistemas do Poder Judiciário.

* Com informações do MPF


Governo busca interesse dos órgãos federais em postos para carros elétricos

Acordo entre o governo federal e o governo do Distrito Federal já prevê a instalação de seis ‘eletropostos’, mas demanda pode aumentar esse número.

Governo chega à marca de 1 mil serviços públicos digitalizados

Desempenho mantém em curso a meta de digitalização total de 3,8 mil serviços até 2022. 

Intelit: LGPD não é um único software que vai resolver tudo

A governança do processo de dados é crucial para uma boa implementação da legislação, sustenta o CEO da Intelit, Lincoln dos Santos Pinto. Segundo ele, o atraso da grande parte das empresas decorre da falta de dinheiro e da incerteza sobre a vigência da lei.

Intelit: Compras públicas têm de abrir espaço à inovação e às startups

O CEO da prestadora de serviços de TI, Lincoln dos Santos Pinto, observa que um processo de compra pública leva em torno de seis meses, o que atrasa a inovação. Sobre a venda do Serpro e Dataprev, lembra da LGPD e defende o Estado como tutor dos dados pessoais do cidadão.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G