Convergência Digital - Home

Reforma tributária é um assalto e ao software e serviços em geral

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 16/10/2019

Se o setor de tecnologia da informação por vezes precisa lutar pela segurança tributária entre estados e municípios, um cenário muito mais preocupante se avizinha com a eventual aprovação da reforma tributária como em discussão no Congresso Nacional. “É um desastre. O maior assalto aos contribuintes”, alerta o diretor jurídico da Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), Manoel dos Santos.

“Na forma como está desenhada a reforma tributária é um conluio entre a União, estados e municípios em conjunto com o setor de comércio e serviços para aumentar a tributação do serviço em geral. É um desastre a reforma como está criada. E não é só o setor de tecnologia da informação. Todo o setor de serviços precisa se unir contra essa reforma tributária”, afirmou durante o ABES Conference, em São Paulo. 

Ele explica que há dois tipos de PIS e Cofins, a modalidade  cumulativa, de 3,65% e não cumulativa, 9,25%. O artigo 10 da Lei 10.833 lista as atividades na modalidade cumulativa, 3,65%. E toda a empresa tributada pelo lucro presumido paga PIS e Cofins de 3,65%. “Quando soma 3,65% com o ISS, tem empresas que paga 2%, dá 5,65%. Mas vai pagar PIS e Cofins de 9,25%, mais o ISS, que pode ser de 2% a 5%. Vai subir a carga tributária de 5,65%, ou 14,25%, para 25%. Na melhor das hipóteses, vai aumentar 10,5% em relação à matriz que tem hoje.”

Para o diretor da ABES, o setor de serviços precisa se unir para a reforma não ser aprovada. “Vai aumentar serviço médico, transporte, educação. A reforma tributária vai afetar de maneira especial o pobre. Já vimos escola sendo invadida porque o estudante não queria pagar 30 centavos a mais na passagem de ônibus. A Câmara Municipal foi invadida porque os funcionários da prefeitura não queriam aumento de 11% para 14% no INSS.  Agora tá acontecendo o maior assalto aos contribuintes, uma carga tributária que vai refletir na inflação e no custo de vida e ninguém fala nada. Não consigo entender como a sociedade se silencia com essa reforma que se avizinha.”


Destaques
Destaques

Embratel centraliza dados do ministério da Saúde na nuvem

Os dados do Portal do Ministério da Saúde, do Portal Coronavírus e e-SUS-VE foram 100% migrados para a nuvem da Embratel. Entre os aplicativos migrados está o CoronavírusSUS. Os apps de saúde já atingiram picos de mais de 80 milhões de acessos diários.

Compartilhamento de dados fomenta o big data no governo federal

A TIC Governo Eletrônico 2019 mostra que ainda há muito por usar em análise de dados no governo. O MPF foi o maior utilizador dos dados para análise. O Executivo ficou com apenas 20%. Serviços na nuvem também ficam aquém do desejado.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site