Home - Convergência Digital

Coronavírus: Empresas de TI não assumem compromisso formal, mas se mobilizam para não demitir

Ana Paula Lobo - 09/04/2020

Sem um compromisso formal, a maioria das empresas de Tecnologia está se esforçando para não demitir os seus profissionais por conta da redução dos contratos e de serviços provocada pela pandemia de coronavírus, revelou o presidente-executivo da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação,
Brasscom, Sergio Paulo Gallindo, nesta quinta-feira, 09/04. A entidade comemorou os números alcançados em 2019: o setor de TICs gerou 42 mil novos postos de trabalho, chegando a 1,56 milhão de empregos.

"TI e serviços geraram 23 mil novas vagas, Telecom gerou 8 mil novas vagas e a grande surpresa foi a TI in house, feita por empresas que não são de tecnologia como os bancos e indústrias, que gerou 11 mil novas vagas. Foi um resultado que mostra a força do segmento", reforçou o presidente-executivo da Brasscom. Gallindo admitiu que a Covid-19 está obrigando a uma revisão dos planejamentos. 2020 será um ano de estagnação e a retomada em 2021 depende de quanto tempo haverá a paralisação da economia.

"Numa versão conservadora, acreditamos que a volta do crescimento será em 2022. Ainda assim, refizemos o estudo e mostramos que - mantida a desoneração da folha de pagamento, TICs vai gerar, em 2025, 198 mil novas vagas. Sem a desoneração - que tem vigência até o dia 31 de dezembro de 2020, a situação muda muito. A projeção é de uma perda de 137 mil profissionais. Será um retrocesso a 2010", afirmou.

Os números da Brasscom mostram que o Brasil chegou a quase R$ 500 bilhões de receita e representou 6,8% do Produto Interno Bruto nacional. O segmento de TI e Serviços teve uma receita de R$ 205,6 bilhões. Telecom ficou em R$ 241,5 bilhões. Já a TI in House gerou uma receita de R$ 47,6 bilhões.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/06/2020
Laércio Cosentino, da TOTVS, assume presidência do Conselho da Brasscom

27/05/2020
Brasscom: Prorrogação da desoneração da folha gera 335 mil novos postos de trabalho em TI

14/05/2020
TI pede mais flexibilidade nas relações de trabalho durante a Covid-19

13/04/2020
Transformação Digital nacional movimentará R$ 465,6 bilhões até 2023

09/04/2020
Brasscom: Autoridade de Dados é mais importante do que novo prazo para a LGPD

09/04/2020
Coronavírus: Empresas de TI não assumem compromisso formal, mas se mobilizam para não demitir

25/03/2020
Brasscom apoia redução de salário, suspensão de contratos e pede desoneração da folha

10/03/2020
Para Brasscom, fim da desoneração da folha elimina 383 mil empregos em TICs

09/03/2020
Software e serviços de TI contrataram 30 mil novos profissionais em 2019

17/07/2019
Brasscom vai à Justiça por entendimento unificado sobre desconto em folha

Ciência de dados: a profissão do agora e do futuro

Em alta, o profissional cientista de dados é buscado em áreas como medicina, varejo, bancos, telecom, entre outros. Um bom especialista tem formação multidisciplinar e visão holística do negócio.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site