Home - Convergência Digital

TI pede mais flexibilidade nas relações de trabalho durante a Covid-19

Luís Osvaldo Grossmann - 14/05/2020

As empresas de Tecnologia da Informação, associadas à Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, Brasscom, estão mobilizadas para conseguir ajustes nas Medidas Provisórias 927 e 936, que trouxeram medidas excepcionais para as relações de trabalho durante a pandemia do novo coronavírus. 

“A ideia das MPs foi trazer fôlego para que as empresas possam manter empregos. Elas ajudam, mas ainda assim pedimos mais flexibilidade ao governo federal para que as empresas tenham mais fôlego, em especial a desoneração da folha de pagamento até 31 de dezembro de 2022, que é nosso pleito nas duas MPs”, explicou a chefe da área jurídica do grupo Spread, Vanessa Cardone. 

O regime especial que permite substituir a contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento por uma alíquota unificada – no caso da tecnologia da informação, 4,5% - chegou a incluir 56 setores econômicos, mas foi reduzido a duas dezenas em 2018. E com previsão de terminar em dezembro deste 2020. 

Outros pleitos do setor envolvem a possibilidade de que comunicações que envolvam dispensa, férias, etc, sejam comunicadas por meio eletrônico, por videoconferência, por email, como forma de simplificar. Além disso, que tais comunicações ganhem prazo maior para serem levadas aos sindicatos, ou mesmo serem dispensadas. 

Um outro pedido que a Brasscom defende virar emenda no Congresso é maior flexibilidade no fracionamento da suspensão do contrato de trabalho. “A MP previu 60 dias, fracionado em dois períodos de 30. Nós pedimos que fracione em até quatro períodos de 15 dias”, explicou Vanessa Cardone. 

Adicionalmente, entre os principais pleitos está um prazo maior para o recolhimento do Fundo de Garantir por Tempo de Serviço. “Já pensando na pós pandemia, uma forma de trazer mais caixa para as empresas. A MP diferiu o FGTS, mas com primeiro pagamento para abril, maio e junho. Nossa proposta é fazer me seis parcelas e que comece um pouco mais para frente, sem encargos, sem juros.”

“O número de trabalhadores no setor de TICs chegou a mais de 1,5 milhão de trabalhadores, com aumento de 48 mil no ano passado. Temos trabalhado em favor das empresas e dos empregos e esse tem sido o foco da nossa atuação”, acrescentouu o presidente executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo. 

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

01/07/2020
Covid-19: ativado o primeiro repositório de dados abertos do Brasil

30/06/2020
Tecnologia foi um dos setores que mais demandou contratação de temporários

29/06/2020
Apenas 15% das PMEs conseguiram crédito durante pandemia de Covid-19

29/06/2020
Autorregulação marca o retorno ao trabalho das empresas de TI em São Paulo

29/06/2020
Demanda por renegociação de contratos de telecom aumenta 30% na pandemia

29/06/2020
Governo monta grupo de TI com Serpro e Dataprev para ações pós Covid-19

26/06/2020
Grupo Fleury: pandemia mostrou que saúde tem de estar 100% conectada

25/06/2020
Justiça do Trabalho acumula 8,6 mil ações relacionadas à Covid-19

24/06/2020
STF confirma que jornada e salário de servidor público não podem ser cortados

24/06/2020
Caixa aproveita contratos não usados e avança na nuvem pública com a Microsoft

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site