Convergência Digital - Home

TIM elege Google Cloud para big data, machine learning e inteligência de negócios

Convergência Digital
Convergência Digital* - 24/04/2020

A TIM Brasil fechou um acordo com o Google Cloud para utilizar o Google Cloud Platform (GCP) como sua plataforma estratégica de nuvem para Big Data, inteligência de negócios e aprendizado de máquina.

"Estamos em um processo intenso de transformação digital dentro da companhia e acreditamos que a parceria com o Google Cloud vai nos ajudar a entender ainda melhor as necessidades dos nossos clientes para que tenham sempre a melhor experiência conosco. A TIM está sempre em busca de soluções inovadoras que tenham impacto real na sua tomada de decisão para facilitar sempre a vida usuários", afirma Renato Ciuchini, Head de Estratégia e Transformação Digital da TIM Brasil.

A plataforma do Google Cloud permite que a empresa faça análises em tempo real para obter insights exclusivos sobre seus negócios. Essas informações ajudarão a operadora a aprimorar ainda mais seus serviços ao cliente, o planejamento e a otimização da rede e a fornecer ofertas personalizadas aos usuários, além de produtos baseados em dados e analytics.

"Este acordo com a TIM reflete a nossa estratégia de ajudar as empresas de telecomunicações a monetizar o 5G como uma plataforma de negócios, capacitando-os a engajar melhor seus clientes por meio de experiências orientadas por dados e ajudando-os a melhorar a eficiência operacional", afirma Marco Bravo, head de Google Cloud para o Brasil.

O Google Cloud será responsável pelo fornecimento da Google Cloud Platform (GCP) e também de toda a consultoria que envolve a migração do ambiente atual, redesenho e otimização em nuvem, além do apoio na construção do CoE (Centro de Excelência) da TIM, que será responsável em fazer toda a gestão do ambiente após sua conclusão.

O Google Cloud permite que a operadora otimize e aprimore sua plataforma de Big Data e Analytics, assim como novas parcerias sejam criadas e que os recursos da plataforma possam ser explorados, evoluindo as campanhas e processos existentes. Por meio do acordo, a operadora também fará uso de outros serviços da plataforma Google Cloud, como BigQuery, Dataproc, Dataflow, Cloud Composer, Data Fusion e Google Kubernetes Engine.

Esses serviços ajudarão a simplificar a integração, permitindo que os cientistas e analistas de dados sejam mais produtivos, focando os esforços em otimizar processos e serviços da operadora e atuando em parceira com a Google, usando os serviços de PaaS (Plataform as a Service) para simplificar a configuração e gestão da infraestrutura.

"As soluções que teremos acesso a partir da plataforma do Google Cloud irão nos permitir simplificar e evoluir nossa arquitetura, além de possibilitar o tratamento e uso das informações de forma cada vez mais eficaz para que possamos criar ofertas e produtos sob medida para nosso cliente e facilitar sua vida, agregando valor aos serviços e processos, evoluindo e transformando a experiência do usuário com a TIM", complementa Auana Mattar, CIO da TIM Brasil.


Trabalha com dados? Você precisa saber o que é o Lifelong Learning

Buscar o constante aprendizado é uma ferramenta essencial para qualquer profissional. Isso vale ainda mais para quem trabalha em uma área dinâmica e que requer pensamento holístico como o profissional de dados.

Destaques
Destaques

Eneva investe R$ 3 milhões para unir gás à energia com a IA ALINE

Software, que utiliza algoritmos de machine learning, foi desenvolvido em parceria com o Instituto Tecgraf da PUC/Rio e está sendo testado no Maranhão. Próxima etapa é um projeto de pesquisa com foco na integração da produção do gás onshore com a geração de energia, o que significa usar IA em um projeto 100% conectado.

Armazenamento por serviço: um mercado em alta com privacidade de dados

IDC prevê que, em 2023, o mundo terá 11,7 ZB de dados armazenados, em comparação aos 5,0 ZB, apurados em 2018.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O que é o balanceamento de carga de alta disponibilidade?

Por Ivan Marzariolli *

A alta disponibilidade começa com a identificação e eliminação de pontos únicos de falha em sua infraestrutura que podem desencadear uma interrupção do serviço - por exemplo, implantando componentes redundantes para fornecer tolerância a falhas no caso de um dos dispositivos estiver com problemas.

Dados em tempo real fazem toda a diferença no e-commerce

Por Leandro Rodriguez*

O tempo se tornou o fator crítico no relacionamento entre vendedor e comprador. Levar informações em tempo real a uma filial local ou a gerentes de loja pode ser determinante para a aquisição de clientes e, consequentemente, aumentar as vendas.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site