" /> Coronavírus: Empresa nacional vê demanda por aluguel de hardware de TI crescer 300% - Convergência Digital - Negócios
NEGÓCIOS

Coronavírus: Empresa nacional vê demanda por aluguel de hardware de TI crescer 300%

Convergência Digital* ... 17/03/2020 ... Convergência Digital

A locação de equipamentos de TI para o home office dos trabalhadores por conta do controle ao Covid-19 está em alta e, nas últimas 72 horas, a empresa nacional Agasus, especializada no segmento, viu crescer sua demanda em 300% em relação ao mês de fevereiro.

“O ritmo de trabalho aumentou e estamos nos desdobrando para atender demandas em todo o Brasil para locações de curto prazo, nicho de negócio em que nos diferenciamos há algum tempo. Sempre mantivemos um parque de ativos com alta disponibilidade para atendimento e entrega imediata", afirma o CoCEO da Agasus, João Lima.

O executivo diz que, por conta do impacto do coronavírus, as empresas irão experimentar o serviço de locação pontual, mas que existe uma oferta muito mais ampla que envolve a locação de hardware com serviços corporativos, seguindo o modelo de HaaS – Hardware as a Service, que envolve a locação de equipamentos novos por períodos de pelo menos 24 meses com a configuração do cliente e entrega com ativação na estação de trabalho de cada colaborador, podendo incluir regras e práticas de uso de software e ferramentas.

"É uma modalidade de assinatura que garante manutenção dentro de SLAs e renovação do parque ao final do contrato. As dores operacionais do TI diminuem muito ao mesmo tempo que existe a percepção de prolongamento do mesmo ambiente da empresa replicado em cada máquina, eliminando qualquer necessidade de Capex”, explica Lima.

Para empresas que necessitam de locação de equipamentos de TI, é importante lembrar, que o investimento inicial é 0 (zero), as empresas só pagarão a primeira mensalidade após ativação dos equipamentos. O período e quantidade são ilimitados, manutenção quando e onde precisar, e os equipamentos são atualizados e rigorosamente revisados.

A Agasus está presente no mercado nacional desde o ano 2000, e soma em seu portfólio a locação de mais de 30 mil notebooks, mais de 25 mil desktops e mais de 6 mil Smartphones e tabletes. No primeiro trimestre de 2019, a Agasus entrou no mercado educacional com o modelo de negócio de locação de hardware, ferramentas de aprendizagem e mobiliário.


Cloud Computing
DNIT assume dívida de R$ 21,3 milhões com o Serpro por serviços de TIC

Entre os serviços no rol das pendências está a oferta de dados como serviço (Quarzo), conforme revela o reconhecimento da dívida feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Diário Oficial da União.

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G