SEGURANÇA

No Brasil, 96% das empresas assumem ter sofrido um ataque cibernético nos últimos 12 meses

Convergência Digital* ... 10/08/2020 ... Convergência Digital

A maior parte das organizações brasileiras (96%) sofreu um ataque cibernético que afetou o negócio nos últimos 12 meses, segundo executivos de negócios e de segurança. Os dados são extraídos do relatório "The Rise of the Business-Aligned Security Executive", um estudo encomendado à Forrester Consulting pela Tenable, empresa de segurança da informação, com mais de 800 líderes globais de negócios e de segurança cibernética, incluindo 59 entrevistados brasileiros.

À medida que os criminosos cibernéticos continuam seus ataques, 67% dos entrevistados no Brasil testemunharam um aumento drástico no número de ataques que afetaram o negócio nos últimos dois anos. As organizações relataram entre os impactos dos ataques, a perda de produtividade (46%), perda ou roubo financeiro (33%) e perda de dados de funcionários (32%). Em torno de 53% dos líderes de segurança no Brasil afirmam que as ações criminosas também atingiram ambientes de tecnologia operacional (OT).

A pesquisa aponta que apenas quatro em cada dez líderes locais de segurança afirmam poder responder à pergunta fundamental "Qual é o nosso nível de segurança?" com um alto nível de confiança, apesar da prevalência de ataques cibernéticos que afetaram o negócio. O relatório destaca que menos de 50% dos líderes de segurança disseram incluir ameaças de segurança cibernética no contexto de um risco empresarial específico. Por exemplo, embora 96% dos entrevistados tenham desenvolvido estratégias de resposta à pandemia da COVID-19, 75% dos líderes de negócios e de segurança admitiram que suas estratégias de resposta estavam apenas "um pouco" alinhadas.

As organizações com líderes de segurança e de negócios alinhados à medição e ao gerenciamento da segurança cibernética como risco estratégico do negócio obtiveram resultados que podem ser comprovados.

Comparados aos seus pares isolados, os líderes de segurança alinhados ao negócio:

Têm oito vezes mais chances de estarem altamente confiantes em sua capacidade de relatar o nível de segurança ou risco de suas organizações.

Estão muito ou completamente confiantes (90%) em sua capacidade de demonstrar que os investimentos em segurança cibernética estão afetando positivamente o desempenho dos negócios, em comparação com 55% de seus parceiros isolados

Em sua maioria (85%), têm métricas para rastrear o ROI de segurança cibernética e o impacto no desempenho dos negócios, ao contrário de apenas 25% de seus pares isolados.

● As organizações com líderes de segurança cibernética alinhados ao negócio também:

○Têm três vezes mais chances de garantir que os objetivos de segurança cibernética estejam em sintonia com as prioridades dos negócios.

○Têm três vezes mais chances de ter um entendimento holístico de toda a superfície de ataque de sua organização.

○Têm três vezes mais chances de usar uma combinação de dados de criticidade de ativos e de vulnerabilidade ao priorizar os esforços de remediação.

"No futuro, haverá dois tipos de CISOs: aqueles que se alinham diretamente ao negócio e os que ficaram para trás. A única maneira de prosperar na era de aceleração digital é integrar a segurança cibernética a todas as questões, decisões e investimentos do negócio", explica Renaud Deraison, Diretor de tecnologia e cofundador da Tenable. Para ler o estudo completo, acesse https://pt-br.tenable.com/analyst-research/forrester-cyber-risk-report-2020 .


Zoom é isca em 99% dos ataques com ferramentas de ensino online

Segundo levantamento das empresas de segurança Kaspersky, em todo o mundo invasões desse tipo cresceram 20.000%. Brasil é o quinto país mais atacado. 

Ataques de phising crescem 600% na AL. Netflix é o alvo dos hackers

Campanha em nome da OTT se distribui por meio de um e-mail com o assunto "Alerta de notificação". A mensagem informa sobre uma suposta dívida acumulada em nome da vítima que pode levar à suspensão do serviço caso não sejam tomadas medidas rápidas.

Brasil sofreu mais de 2,6 bilhões de ataques cibernéticos no 1º semestre

Configuração incorreta de servidores é o principal responsável pela maior parte das tentativas de invasão, reporta estudo da Fortinet. Cai o número de tentativas de golpes usando a Covid-19.

Prejuízo médio com violação de dados sobe para R$ 5,8 milhões no Brasil

Estudo da IBM mostra que o aumento no valor foi de 10,5% em relação a 2019. O levantamento traz uma advertência: aumentou o prazo para contenção do vazamento nas empresas para 115 dias. Credenciais roubadas ou nuvens com configurações incorretas foram as brechas para as invasões.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G