INTERNET

Abranet: cobrança de ICMS no comércio eletrônico no Rio de Janeiro é inconstitucional

Convergência Digital* ... 08/04/2020 ... Convergência Digital

O Projeto de Lei 2023/2020, do governo do Rio de Janeiro - e à espera da sanção do governador Wilson Witzel, idealizador da iniciativa - não tem amparo legal para definir que as empresas digitais e de meio de pagamento (fintechs e operadoras de cartão de crédito) devam recolher o ICMS referente às transações feitas por meio do comércio eletrônico. Conforme determina a legislação federal, o pagamento do tributo cabe às empresas proprietárias das mercadorias ou serviços, vendidos tanto em lojas físicas como pela internet.

"O ICMS deve ser recolhido por quem emite a nota fiscal", resume Eduardo Neger, presidente da Associação Brasileira de Internet (Abranet), que considera o PL 2023 inconstitucional. A entidade se baseia em parecer do tributarista Luiz Roberto Peroba, do escritório Pinheiro Neto Advogados. Ele esclarece que a Lei Complementar nº 87, de âmbito nacional, estabelece que o pagamento do ICMS seja feito pela empresa proprietária do bem ou serviço colocado à venda.

"O ICMS não pode ser diferente de Estado para Estado. Em atendimento ao Artigo 146 da Constituição Federal, a Lei Complementar nº 87 define as regras desse imposto para todo o território nacional e que devem ser seguidas de maneira uniforme por todos os Estados. O governo do Rio de Janeiro só poderia fazer o PL 2023 se houvesse uma Lei Complementar à Constituição Federal autorizando os Estados a estipular como contribuinte do ICMS alguém que não fosse o vendedor da mercadoria", esclarece o tributarista.

Peroba observa que, dada sua importância, a aprovação de leis completares exige quórum qualificado, ou seja, o voto favorável da maioria absoluta de deputados e senadores. A Abranet considera o PL 2023 prejudicial ao comércio eletrônico. "Se for sancionado, haverá um aumento exorbitante dos custos administrativos das plataformas e fintechs", prevê Neger. "Isso abalaria as transações online num momento em que as empresas do setor se veem diante do desafio de prover o abastecimento seguro e eficaz de bens e serviços à população, boa parte em isolamento para evitar a propagação do contágio do coronavírus".

O PL atingirá também o consumidor pessoa física. Nas transações em que tanto a plataforma digital como o intermediador financeiro não forem do Estado do Rio, o ICMS deverá ser recolhido pelo comprador da mercadoria. Para a Abranet, se por um lado o objetivo do PL 2023 é promover aumento da arrecadação do Estado, por outro lado o governo fluminense inviabilizaria a operação das empresas de comércio digital – "o que faria a arrecadação cair ainda mais", completa Eduardo Neger.

*Com informações da Assessoria da Abranet


Revista Abranet 31 . maio-julho 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
A pandemia da Covid-19 fez a rotina mudar num piscar de olhos. E coube à internet mostrar a sua força. O aumento significativo do tráfego de dados por conta do teletrabalho e do isolamento social foi uma realidade assustadora. Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Ministério Público defende rastreamento de mensagens no PL das Fake News

Para a Câmara Criminal do Ministério Público Federal, a previsão deve ser mantida porque "mostra-se útil para a investigação de diversos ilícitos". 

Fake News: Sai versão em português de chatbot gratuito de verificação para o WhatsApp

Pelo chatbot da International Fact-Checking Network, usuários do OTT podem verificar se informações específicas que receberam sobre a COVID-19 já foram classificadas como "falsas", "parcialmente falsas", "enganosas" ou "sem evidência" por verificadores profissionais.

Comércio pela internet dispara e movimenta 12% das vendas no Brasil

Segundo pesquisa da Camara-e.net e da Compre & Confie, vendas em junho foram 110% superiores há um ano. Alta no semestre beira os 60%. 

Slack acusa Microsoft de impor o Teams vinculado ao Office

OTT alega que a empresa norte-americana está vinculando o Teams ao Office para forçar a aceitação do produto, que disputa espaço com o Slack e com o Zoom nessa era de pandemia.

Justiça ordena Google a reativar sites da prefeitura de Poços de Caldas

Justiça exigiu ainda os e-mails aos quais os sites do Município excluídos no início de julho estavam vinculados, a data e hora da exclusão, bem como endereço IP de quem foi responsável pelo ato.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G