Convergência Digital - Home

Consumo alto de energia desafia o futuro dos data centers

Convergência Digital
Convergência Digital* - 20/02/2020

De 2010 a 2019, o setor de data center passou por uma evolução marcada pela migração das salas de equipamentos de Tecnologia da Informação para o data center virtualizado, na nuvem, mas ainda enfrentam desafios reais como o alto consumo de energia, afirma o gerente de produtos de data center da Huawei Brasil, Marco Antunes.

Segundo ele, hoje, os data centers precisam integrar Inteligência Artificial com Machine Learning para ampliar a eficiência e capacidade de processamento das soluções. A fabricante chinesa fez um relatório onde aponta as 10 principais tendências para data center até 2025.

1) Alta Densidade: à medida que a demanda por aplicativos de inteligência artificial aumenta, é necessário equilibrar eficiência e custos. Para isso, os data centers se desenvolverão em direção à alta densidade. Atualmente, a capacidade média de energia em um data center é de 6 a 8 kW/rack. Prevê-se a predominância de uma a capacidade média de energia de 15 a 20 kW/rack até 2025.

2) Arquitetura Escalável: geralmente, o ciclo de vida dos dispositivos de TI é de três a cinco anos, sendo que a densidade de energia dobra a cada cinco anos. No entanto, o ciclo de vida da infraestrutura do data center é de 10 a 15 anos, o que exige expansão escalável e investimento dividido em fases, para atingir a sua rentabilidade ideal. Além disso, o data center deve oferecer suporte à implantação híbrida de dispositivos de TI com diferentes densidades de energia, devido aos variados serviços de TI em execução no local.

3) Verde: atualmente, o consumo de energia dos data centers representa 3% do consumo total de energia do mundo. Estima-se que este consumo chegue a mais de 1.000TWh até 2025. Por isso, construir data centers ecológicos é inevitável, de modo a proporcionar economia de recursos (como energia, água e materiais) durante todo o seu ciclo de vida.

4) Implantação rápida: com o crescimento dos serviços de Internet em um curto período de tempo, as demandas de serviços para armazenamento e tráfego de dados também aumentam bastante. Neste cenário, o sistema do data center acaba sendo alterado de suporte para um sistema de produção, exigindo uma implantação mais rápida para que os benefícios também sejam conquistados mais rapidamente. O tempo de implantação médio é de nove a 12 meses, o que deve ser reduzido para menos de seis meses até 2025.

5) Digitalização completa e habilitação de Inteligência Artificial: devido ao aprimoramento contínuo das tecnologias de Internet das Coisas e Inteligência Artificial, o gerenciamento dos data centers deve migrar para o formato digitalizado, em termos de planejamento, construção, organização e métodos, além de otimização de recursos.
 
6) Modularização Completa: até 2025, mais data centers são construídos com design modular completo para resolver os problemas de construção lenta e de alto custo de investimento inicial, o que permitirá implantação rápida, expansão flexível da capacidade de armazenamento e alta eficiência energética.

7) Arquitetura simplificada da fonte de alimentação: o sistema de fornecimento e distribuição de energia de um data center tradicional é complexo e fragmentado, ocupando uma grande área. Uma arquitetura simplificada da fonte de alimentação reduzirá os tempos de conversão de energia e a distância da fonte de alimentação, além de melhorar a taxa de utilização de espaço e a eficiência energética do sistema.

8) Convergência de refrigeração líquida e refrigeração a ar: para se adaptar rapidamente a requisitos incertos de serviço de TI no futuro, a solução de refrigeração deve ser híbrida (compatível com o sistema de refrigeração a ar e sistema de refrigeração líquida) para que o consumo de energia do sistema de refrigeração seja bastante reduzido.

9) Ligação dinâmica entre bits e watts: reduzir a eficácia do uso de energia (PUE) não significa que o consumo geral de energia do data center seja ideal. O consumo de energia precisa ser avaliado e otimizado como um todo. Assim, bits e watts trabalharão de forma colaborativa para obter economia de energia e eficiência energética ideal de todo o sistema.

10) Confiabilidade: à medida que as instalações do data center se tornam mais inteligentes, as ameaças à segurança da rede também se multiplicam. Por esse motivo, o data center deve ter seis recursos: resiliência, segurança, privacidade, segurança, confiabilidade e disponibilidade (para evitar ataques de internautas mal intencionados e ameaças de rede).
 


LEIA TAMBÉM:
Destaques
Destaques

Havaianas priorizaram data analytics da SAP para enfrentar a crise

A tecnologia foi crucial para transformar os negócios, contou o CEO da Alpargatas, Roberto Funari, ao participar do SAPPHIRE NOW Reimagine.“As empresas estão passando por um grande teste de reputação, nunca elas estiveram tão expostas", reforçou o executivo.

Uso da nuvem vai triplicar no governo federal

“Para 2020, 140 órgãos diferentes sinalizaram intenção de contratar, sendo R$ 86 milhões em renovações e R$ 159 milhões em novos contratos”, revela o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site