SEGURANÇA

Grupo hacker vaza dados pessoais que seriam de Bolsonaro, família e ministros

Convergência Digital* ... 02/06/2020 ... Convergência Digital

O grupo hacker Anonymous Brasil divulgou na noite desta segunda-feira, 1º, dados pessoais que supostamente seriam do presidente Jair Bolsonaro e de seus filhos Carlos, Eduardo e Flávio. Além deles, também foram vazadas informações pessoais dos ministros Abraham Weitraub, da Educação, e Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. O deputado federal Douglas Garcia (PSC-RJ) também deve seus dados divulgados.

O perfil do grupo onde estavam armazenadas as informações saiu do ar cerca de uma hora após o vazamento. Entre os dados publicados estavam números de celulares, (Cadastros de Pessoa Física (CPFs) endereços, bens declarados, participação em empresas e até dívidas.

O Anonymous Brasil faz parte do grupo internacional de hackers que estava inativo há quase seis anos. No domingo, 31, o Anonymous se manifestou no Twitter em meio às turbulências nos Estados Unidos após a morte do ex-segurança negro George Floyd por um policial branco. Em vídeo publicado no Twitter, a organização ameaçava expor “muitos crimes” cometidos pela polícia em todo o mundo.

No post de ontem à noite, o grupo brasileiro soltou o seguinte comunicado: “Chamado #AnonymousBrazilNeedsHelp. Estamos preparando nosso barco! Logo teremos vazamentos de dados, estamos preparando.  #Anonymous #AntiFascista #Antifa. Ajude com RT”.


Por Covid-19, biometria é excluída das eleições 2020 pelo TSE

Decisão foi tomada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luis Roberto Barroso, em função do risco de contágio da Covid-19. Os leitores lde impressões digitais não podem ser higienizados a cada utilização, o que seria um risco considerável.

Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G