SEGURANÇA

Sete em cada 10 empresas brasileiras investem em Inteligência Artificial

Convergência Digital* ... 06/04/2020 ... Convergência Digital

O uso de tecnologias avançadas para combater fraudes cresceu em todo o mundo, com as empresas participantes da pesquisa indicando que entendem as ferramentas de analytics como uma prioridade estratégica. No Brasil, 66% afirmam que consideram ou já estão na fase de implementação do uso de inteligência artificial nos processos de prevenção à fraude, mesma porcentagem daquelas que relatam usar machine learning. Nas duas opções, os brasileiros estão à frente da média global, que é de 55% e 51%, respectivamente. Os dados são da Pesquisa Global de Fraude e Identidade, realizada pela Experian.

“A pesquisa ainda indica o uso de métodos avançados para a autenticação dos usuários como machine learning, inteligência de dispositivos, questionários antifraude e biometria, podem ser o segredo para o reconhecimento bem-sucedido dos clientes”, comenta o diretor de soluções de Prevenção à Fraude da Serasa Experian, Eduardo Castro. O levantamento mostra ainda que pelo terceiro ano consecutivo, os usuários ao redor do mundo citaram a segurança como o elemento mais importante das experiências online, com 74% dizendo que a segurança ainda é a prioridade.

O levantamento reforça que a conveniência, como facilidade de acesso à conta e instruções claras para login, aparece como segundo item de importância, à frente da personalização. Localmente, o índice é ainda maior, com 80% das pessoas apontando que ter a garantia da proteção dos dados é mais importante do que conveniência ou experiência personalizada.

O diretor de soluções de Prevenção à Fraude da Serasa Experian, Eduardo Castro, salienta que “enquanto consumidores dizem que notam e gostam do que as companhias estão fazendo para melhorar as experiências digitais, como ofertas personalizadas, a probabilidade de eles continuarem um relacionamento com uma empresa se resumirá a quão seguros e significativos são esses relacionamentos”

O estudo mostra ainda que 39% dos usuários brasileiros não se sentem identificados pelas empresas quando fazem transações digitais, ou seja, precisam incluir informações pessoais repetidas vezes durante as interações no ambiente eletrônico, prejudicando a sua experiência. Posição distinta das empresas.

Ficou evidenciado que 95% das organizações entrevistadas em todo o mundo estão confiantes na habilidade que têm de identificar os usuários no ambiente digital, número que no Brasil é de 100% entre as empresas entrevistadas. Apesar de estarem convictos do sucesso de seus processos, 70% dos negócios online afirmam ter tido aumento dos prejuízos com fraude.

A pesquisa 2020 Global Identity and Fraud Report realizada pela Experian ouviu mais de 6.500 consumidores em 13 países no mundo, sendo Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha/ Áustria, Holanda, França, Espanha, Colômbia, Brasil, China, Japão, Indonésia, Índia e Austrália. Também participaram do levantamento mais de 650 empresas dos segmentos bancário, varejo eletrônico e telecomunicações.

 A íntegra da pesquisa 2019 Global Identity and Fraud Report pode ser acessada pelo link:   www.serasaexperian.com.br/pesquisafraude2020


Globo afirma que ataque hacker não 'roubou' dados de usuários

Houve duas invasões ao sistema de notificações push da Globoplay e da GShow no final de semana. O ataque teria sido conduzido por um grupo hacker da Arábia Saúdita. Segundo a Globo, 'invasores se limitaram a enviar mensagens para toda a base'.

Consciência é a maior vacina contra os riscos cibernéticos

Em tempos de home office por conta do coronavírus, o gerente de segurança do CAIS/RNP, Edilson Lima, diz que cabe ao usuário redobrar seu cuidado. "Cada um tem de fazer sua parte", afirma.

Cibercrime usa Coronavírus para roubar dados pessoais no WhatsApp

Golpe oferece suposto kit gratuito com máscara e álcool gel - a ser dado pelo Governo Federal - para atrair as pessoas mais nervosas em relação à pandemia.

RNP terá programa para formar profissionais em Segurança Cibernética

O diretor da área na Rede Nacional de Pesquisa, Emilio Nakamura, assegura que a intenção é 'acelerar a formação de novos profissionais não apenas na Academia, mas também na inovação aberta'.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G