Clicky

GOVERNO » Compras Governamentais

Câmara dos Deputados adere ao catálogo federal de preços da Microsoft

Luís Osvaldo Grossmann* ... 03/03/2021 ... Convergência Digital

A Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia anuncia que a Câmara dos Deputados aderiu ao sistema de acordos corporativos com grandes fornecedores de TI, para padronização de preços na administração federal. A adesão começa pelo catálogo de serviços da Microsoft. 

Como lembra a SGD, o governo federal mantém acordos corporativos desse tipo com outros grandes fabricantes do setor: IBM, VMWare, Red Hat e Qlik. A partir dos acordos, são publicados catálogos com uma listagem dos produtos de cada um desses fornecedores e o respectivo teto de preços para cada um deles. No caso da Microsoft, o catálogo dispõe de 2 mil itens. 

Ao padronizar valores para toda a administração, os acordos forçam reduções nos preços médios dos serviços mais comumente contratados. No caso da Microsoft, o acordo renovado em 2020 implicou em cortes médios de 23%. Há cerca de um mês, a SGD informou que as renovações com IBM e Red Hat implicaram em reduções de 16%. 

A prática de usar o peso de grande comprador para pressionar por acordos com os fornecedores de tecnologia começou em 2019. “Hoje, ministérios, fundações e autarquias do governo que compram em menor quantidade obtêm preços competitivos, da mesma forma que outros órgãos do governo que compram mais. Quem está comprando é sempre o governo federal, independentemente do órgão e do fornecedor da tecnologia”, diz o secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro.

Os catálogos negociados e os preços de referência para licitações, porém, já extrapolaram o Poder Executivo. Antes da Câmara dos Deputados, o Supremo Tribunal Federal e Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais aderiram ao acordo de preços, assim como também o estado de Goiás. 

* Com informações do Ministério da Economia


LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.

Estados e municípios vão ficar com US$ 1 bilhão do BID para digitalização

Ao Convergência Digital, o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, assegura: “Impacto na economia vai chegar a R$ 100 bilhões."

Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.

Ministério da Justiça exige cadastro de redes sociais no Consumidor.gov.br

Nova portaria da Secretaria Nacional do Consumidor amplia o rol de empresas que devem fazer parte do portal de mediação online de atendimento aos consumidores. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G