Home - Convergência Digital

No Rio, apenas 21% das empresas adotam o teletrabalho

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 05/12/2019

A 15ª Pesquisa de RH para RH 2018/2019, realizada pelo TI Rio (Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro), mostra que 60% das demissões na área de TI realizadas no período aconteceram por pedido dos funcionários. O levantamento mostra ainda que a ocupação dos postos de trabalho entre os gêneros apresenta 78% dos postos de profissionais de nível superior ocupados por homens e 62% por mulheres. Já com pós-graduação, as mulheres são 5% e os homens 3%.

O relatório mostra, porém, uma desequilíbrio relevante entre homens e mulheres. Enquanto a média entre os pós-graduados homens fica em R$8.016,00, o das mulheres é de R$4.205,00. No nível superior os homens chegam a R$6.063,00, contra R$3.055,00 das mulheres. No geral entre as funções relacionadas na pesquisa, a menor faixa salarial em 2019 é a de analista de desenvolvimento, com R$2.301,00.

Outra evidência é que as correções salariais em 84% das empresas foram feitas seguindo a convenção coletiva negociada entre o TI-Rio e o sindicato dos trabalhadores. Um dado que revela a importância do papel de negociação da entidade, segundo Luiz Carlos. “A convenção é fundamental para as empresas terem parâmetros de mercado. E, importante ressaltar, beneficia a todas que atuam no setor.

O estudo mostra ainda que as empresas de TI têm acompanhado a evolução do mercado e permitido em 47% dos casos o cumprimento da jornada de trabalho de forma flexível e informal, com 53% que mantém horários fixos. Também 47% delas permitem o trabalho em casa de forma eventual. As regras definidas para os bancos de horas negociados entre o TI Rio e o sindicato laboral por acordo coletivo são utilizadas em 26% dos casos. No que se refere aos planos de cargos e salários, 58% das empresas têm algum estruturado.

Outra característica é que 42% das empresas autorizam o acesso sem restrições dos empregados às redes sociais pessoais, e-mail, jogos, sites etc. durante o período de trabalho. Outras 53% impõem algum limite e apenas 5% vetam os acessos. A maioria das empresas, 68%, permitem e estimulam projetos criativos extratrabalho, 10% destas como política de RH.

Carências na formação

Mesmo estando num espaço hoje considerado nobre do mercado de trabalho, os setores de RH das empresas de TI percebem carências na formação dos recém contratados. Em 84% delas, para solucionar o problema, são oferecidos treinamentos com ferramentas, métodos e técnicas específicos; em 42% treinamentos comportamentais; em 37% em certificações; em 26% treinamentos gerenciais e em 21% treinamentos administrativos, mesmo percentual para os complementares, como inglês ou redação, por exemplo.

Com relação às novas formas de contratação permitidas pela legislação mais recente, apenas 5% utilizam os contratos intermitentes, 63% não recorreram às novas regras. Já o teletrabalho é utilizado por 21% das empresas e os autônomos têm espaço em 11% delas. O diretor do TI Rio, Luiz Carlos Sá Carvalho, assume o desafio que as as organizações enfrentam para encontrar profissionais de TI qualificados no mercado.

“Constatamos que muitas empresas estão optando por ter um relacionamento mais estreitos com as universidades. Essa é a porta de entrada de profissionais juniores. Grande parte das empresas com até 50 funcionários foca na contratação de estagiários e, muitos deles, com bom desempenho, são contratados pela CLT antes mesmo de terminarem o período de estágio", completa Carvalho.

*Com informações da Assessoria do TI Rio
 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/01/2020
TIM Tec oferece 30 cursos online gratuitos voltados para TICs

06/01/2020
Singularity University realiza primeiro programa para líderes no Brasil

18/12/2019
95% dos executivos querem funcionários com habilidades digitais

06/12/2019
Governo investe R$ 22 milhões para capacitar novos programadores no Brasil

05/12/2019
No Rio, apenas 21% das empresas adotam o teletrabalho

04/12/2019
Déficit de mão de obra na América Latina será de 570 mil profissionais em 2020

05/11/2019
Empresa de Blumenau vence prêmio no LinkedIn Talent Awards

25/10/2019
Analista de Internet das Coisas: um profissional em construção

16/10/2019
Santander oferece 240 bolsas integrais para formar profissionais em programação

07/10/2019
Plataforma online oferece curso de inglês gratuito para TI

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

Déficit de mão de obra na América Latina será de 570 mil profissionais em 2020

Empresas da região vão investir nas tecnologias da terceira plataforma - cloud, analytics, Inteligência Artificial - e vão requisitar cada vez mais especialistas em programação e desenvolvimento, projeta estudo da IDC América Latina.

Análise de requisitos define sucesso ou morte dos projetos de TI

Como demonstra o professor e pesquisador Marcos Kalinowski, do departamento de informática da PUC-RJ, especificação boa ou ruim pode triplicar a produtividade ou aumentar em até 50% os custos. O professor da PUC-RJ coordena um projeto de pesquisa na área de Engenharia de Requisitos que envolve mais de 50 pesquisadores de 20 países.

Negócios na nuvem vão gerar 491 mil empregos diretos no Brasil até 2024

A batizada, 'economia Salesforce', formada pelo ecossistema de parceiros e clientes da companhia, vai gerar nos próximos seis anos, 780 mil empregos indiretos e uma receita de R$ 247 bilhões em novos negócios. Transformação digital será responsável por 50% dos gastos com software e computação em nuvem.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site