TELECOM

Grandes teles e pequenos provedores disputam espaço no leilão do 5G

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/03/2020 ... Convergência Digital

O maior leilão de espectro do Brasil, a oferta de quase 4 mil MHz em frequências previstas no edital do 5G, revela uma série de disputas sobre o espectro ofertado. E como visto na audiência pública realizada pela Anatel nesta quinta, 12/3, nem o aumento de 100 MHz na oferta do 3,5 GHz é suficiente para o apetite do mercado. Especialmente das grandes teles. 

“A relevância da decisão sobre 5G exige muita cautela. A maior preocupação da Claro é que as oportunidades e desafios sejam iguais a todos os interessados, sem facilidades para apenas parte deles”, disparou a gerente regulatória da Claro, Monique Barros. 

“É necessário que se garanta que adquirentes da frequência estejam comprometidos com implantação de uma 5G robusta. E caso haja lotes exclusivos e com menos obrigações, o 5G estará em risco. É preciso afastar especuladores”, completou. 

Não foi a única. A Oi também partiu para o ataque contra a proposta da Anatel que prevê um lote exclusivo para prestadoras de pequeno porte – aquelas empresas com participação de mercado inferior e 5%. Assim como a Claro, a tele defendeu que todos os 400 MHz entre 3,4 GHz e 3,7 GHz sejam divididos em quatro blocos – coincidentes com as quatro grandes operadoras móveis no país.

“Um lote exclusivo a pequenos provedores pode não resultar em uso eficiente do espectro. O uso ideal do 5G seria em torno de 100 MHz para as faixa de 3,5 GHz. Portanto uma das contribuições da Oi é que sejam quatro lotes nacionais de 100 MHz com oportunidade a todas as empresas sem quaisquer restrições. Lotes pequenos não alcançam viabilidade para que seja feito o investimento”, afirmou o gerente de estratégia regulatória da Oi, Leandro Vilela.

Os pequenos reagiram. “Os provedores regionais são empresas sérias, comprometidas com investimento em banda larga no Brasil, tanto é que atualmente já têm mais de 30% do market share da banda larga fixa. Quando a Anatel estabelece um lote exclusivo, faz regulação assimétrica para viabilizar entrada de empresas, não é privilegio para aventureiros ou especuladores”, rebateu o gerente de relacionamento institucional da Abrint, Helton Posseti.

Para o presidente da Telcomp, João Moura, além de destacar que “a assimetria é importante para a participação de novos entrantes”, o próprio desenho da oferta deveria mudar. “Na faixa de 3,5 GHz, os blocos regionais deveriam ter pelo menos 80 MHz para que possa se ter um melhor aproveitamento do 5G. E na faixa de 700 MHz seria conveniente que ela fosse também segmentada por regiões e licitada logo depois do 3,5 para que fosse possível se trabalhar alternativa de combinar as duas.”


Internet Móvel 3G 4G
Claro bate rivais em banda larga móvel, TIM tem a menor latência

Relatório da canadense Tutela Technologies com base em 21 bilhões de registros no país diz que mercado competitivo móvel amplia ofertas. TAmbém mostra que as bandas de 1.8 GH e 2,6GHz são largamente usadas pelas operadoras para os serviços.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Oi lança internet por fibra ótica com 400 Mega de velocidade

 Internet por fibra ótica é o coração da estratégia de negócios da Oi e já tem mais de 1 milhão de clientes no país

Anatel discute quais dados econômicos vão ser coletados das grandes operadoras

Consulta pública sobre os indicadores econômico-financeiros está aberta por 45 dias. 

Anatel afasta redutor de multas em sanções de obrigação de fazer

Provocada pela Telefônica, prevaleceu o entendimento indicado pela AGU de que o regulamento vigente da agência não permite o uso desse incentivo fora das sanções pecuniárias.

Anatel vai discutir uso dos espectros ociosos em consulta pública

Proposta de uso do White Spaces entre frequências outorgadas é cautelosa ao prever uso em áreas rurais e regiões remotas.  Ideia é permtir o uso secundário para telefonia e banda larga em áreas rurais e regiões remotas.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G