SEGURANÇA

Anatel usa simulação de ataque para incrementar regras de cibersegurança

Luís Osvaldo Grossmann ... 04/07/2019 ... Convergência Digital

Um ataque que começa na rede de uma das operadoras de telecomunicações se espalha para concorrentes e mesmo para outros setores, como o fornecimento de energia elétrica. Essa foi uma das simulações realizadas dentro do exercício Guardião Cibernético, liderado pelo Comando de Defesa Cibernética do Exército, e que pela primeira vez reuniu empresas de telecom. 

Em outro exercício, o ataque foi contra o satélite geoestacionário de defesa e comunicações. “O satélite geoestacionário tem uma empresa de telecom de grande importância na provisão de hardware e software, empresa que esta no exercício. Uma das simulações foi ataque a um ativo dessa empresa que provê estrutura de rede, e através de um ataque lateral gerando efeitos sobre a Defesa, podendo até inviabilizar link de dados”, revela o coordenador do Guardião Cibernético, tenente coronel Walbery Nogueira de Lima e Silva.

Como explica o gerente de controle de obrigações de qualidade da Anatel, Gustavo Borges, que representou a agência nos três dias de simulações e análises encerrados nesta quinta, 4/7, a inclusão do setor de telecomunicações faz sentido pela importância da proteção das redes em qualquer tipo de ataque. “Ataques cibernéticos chegam para todos os setores e telecomunicações é o ambiente pelo qual acontecem esses ataques. Então é importante que o setor tenha a condição de suportar esses ataques e reagir.”

O aprendizado do exercício também alimenta preocupações específicas do setor. Como revela o gerente de controle de obrigações de qualidade, a participação ajudou no aperfeiçoamento da proposta de resolução da agência sobre o tema da segurança cibernética. “A normativa não busca determinar todos os regramentos, mas criar um ambiente de cooperação entre órgãos de governo, de defesa, entre as empresas. A regulamentação tem que acompanhar o dinamismo desse assunto”, afirma Borges. 

Segundo explica, a norma é muito focada na criação de um sistema colaborativo entre as empresas do setor de telecom, para comunicação e atuação conjunta quando necessário.  “A Anatel tem planejado uma regulamentação nova sobre segurança cibernética, que está sendo encaminhada para deliberação do Conselho Diretor. Vai pautar para o setor quais são as obrigações e está bem voltado para a questão de cooperação, para que se tenha a melhor resiliência em telecom.”


Consciência é a maior vacina contra os riscos cibernéticos

Em tempos de home office por conta do coronavírus, o gerente de segurança do CAIS/RNP, Edilson Lima, diz que cabe ao usuário redobrar seu cuidado. "Cada um tem de fazer sua parte", afirma.

Cibercrime usa Coronavírus para roubar dados pessoais no WhatsApp

Golpe oferece suposto kit gratuito com máscara e álcool gel - a ser dado pelo Governo Federal - para atrair as pessoas mais nervosas em relação à pandemia.

RNP terá programa para formar profissionais em Segurança Cibernética

O diretor da área na Rede Nacional de Pesquisa, Emilio Nakamura, assegura que a intenção é 'acelerar a formação de novos profissionais não apenas na Academia, mas também na inovação aberta'.

GSI: Educar o cidadão é o pilar da estratégia de segurança cibernética

Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República troca de marca - sai o cadeado e entra uma chave - para mostrar ao brasileiro que ações próativas são essenciais. "Não podemos atuar apenas como bombeiros nos ataques cibernéticos", afirma Ulisses Peixoto.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G