Clicky

INTERNET

Autoridade de Dados burocrática vai matar a inteligência artificial

Ana Paula Lobo e Luis Osvaldo Grossmann ... 26/05/2020 ... Convergência Digital

Todo cuidado será pouco com a montagem do quadro diretor e técnico da Autoridade Nacional de Proteção de Dados sob o risco de 'ferrar' o avanço da Inteligência Artificial no Brasil, adverte o professor da Universidade Federal de Goiás, Anderson Soares. Em entrevista ao Convergência Digital em pauta, o especialista foi taxativo: 'muita regulação vai matar a Inteligência Artificial no Brasil. IA precisa de dados para acontecer. Não defendo todos os dados abertos, mas precisamos entender que cercear o acesso aos dados vai bloquear o desenvolvimento da IA".

Soares classifica o texto atual da Lei Geral de Proteção de Dados como 'morno', mas teme que mais à frente, em nome da defesa da privacidade, o desenvolvimento da inteligência artificial venha a ser prejudicado no País. "A nossa Lei foi baseada na GDPR europeia, mas não significa que ela é boa. O europeu pensa diferente do asiático, do norte-americano e do latino. Por definição, o dado tem ser aberto", adiciona.

Polêmico, o professor diz que, hoje, o melhor lugar do mundo para o desenvolvimento de inteligência artificial é a Ásia, em especial a China, uma vez que lá os dados pertencem ao Estado. "É claro que tenho ciência de que o governo é dono por conta do regime, mas a verdade é ao cercear o acesso aos dados com muita regulação, está se bloqueando o desenvolvimento da Inteligencia Artificial".

No caso do premiado caso de uso das Johnson & Johnson, os dados usados foram os financeiros, lembra que foi um caso único, inédito e, por isso, mesmo uma iniciativa brasileira sagrou-se à frente de outras de universidades tracionais como a norte-americana Stanford. "De novo, não defendo todos os dados abertos. Mas não podemos matar a inovação. Não podemos ferrar a Inteligência artificial". Assistam o professor Anderson Soares.


STJ: É possível responsabilizar Google por postagem no Orkut anterior ao Marco Civil

Em caso ocorrido antes da vigência da Lei 12.965/14, o Superior Tribunal de Justiça considera ser válida notificação extrajudicial para remoção de conteúdo, em caso que pede indenização por dano moral. 

Justiça manda Claro garantir velocidade de internet contratada

Para a 9ª vara Cível de Aracaju-SE, internet é essencial e fornecimento deve respeitar preceitos do Código de Defesa do Consumidor. 

WhatsApp baniu 360 mil contas por disparo de mensagens em massa no período eleitoral

Comportamento irregular foi verificado por tecnologia de aprendizado de máquina. Já as denúncias em canal criado com o TSE resultaram no banimento de 1.042. 

Canadá não quer esperar acordo global e vai cobrar imposto da internet em 2022

Em anúncio ao Parlamento, Departamento das Finanças do país indicou que novo tributo entra em vigor em janeiro de 2022 e pode arrecadar o equivalente a R$ 14 bilhões em cinco anos. 

Proliferação de serviços streaming faz crescer o “consumidor bumerangue”

Segundo a Kantar Ibope Media, no lugar de assinar simultaneamente as várias opções, se torna mais comum a troca constante de serviços. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G