Anatel prepara dois editais do 5G à espera de filtros para antenas parabólicas

Luís Osvaldo Grossmann e Ana Paula Lobo ... 11/08/2020 ... Convergência Digital

Como forma de avançar com os preparativos para o leilão do 5G, a Anatel enviou duas versões de edital para a Procuradoria Federal Especializada, a AGU na agência. Uma delas obriga as empresas que adquirirem espectro no leilão a custearem a instalação de filtros em antenas parabólicas como forma de evitar a interferência com as aplicações de 5G na faixa de 3,5 GHz. A outra versão prevê o custeio da migração das recepções em banda C para a banda Ku. 

A decisão, revelada pelo presidente da Anatel, Leonardo de Morais, em entrevista exclusiva ao CDemPauta, do Convergência Digital, envolve na prática um alerta para a indústria: se não houver o desenvolvimento de filtros LNBFs efetivos nos próximos meses, o leilão vai sair com a segunda alternativa. A diferença não é trivial. Enquanto as empresas calculam que a mitigação com filtros custe menos e R$ 500 milhões, a migração para a banda Ku é mais salgada, próxima a R$ 3 bilhões. 

“Só vamos ter as duas soluções à mesa, mitigação e migração, quando houver a confirmação de um LNBF eficiente, além da indicação de escala para esses equipamentos. Mas isso precisa ter um prazo. Não vamos esperar toda a vida a indústria apresentar um LNBF que seja de fato eficiente. Nós trabalhamos com um cronograma de fazer a licitação no primeiro semestre do ano que vem. E vamos olhar o prazo com as alternativas. Se as alternativas não se apresentam, a proposta que estará à mesa será a migração, que tem custos mais altos, tem pessoas contrárias, mas não cabe questionar a política pública e sim implementá-la com as alternativas técnicas que se apresentam. E até agora não temos um LNBF que dê conforto como uma solução. Se os técnicos continuarem a dizer que a solução não dá conforto, a única solução será a migração.”

As propostas mantém a oferta de 400 MHz na faixa de 3,5 GHz. “A consulta pública teve mais de 2 mil páginas de contribuição. No que tange aos lotes, a área técnica trabalha numa proposta com cinco lotes de 80 MHz [em 3,5 GHz], sendo o último deles regionalizado, com um teto de 100 MHz. Lembrando que atualmente não temos equipamentos com portadora maior que 100 MHz. Além disso terá obrigações de oferta pública de radiofrequência para evitar qualquer tipo de ociosidade do espectro. Outro eixo, por óbvio, é a questão de migração e mitigação. E ainda tem os compromissos de investimento, que olhamos de acordo com os gaps identificados no PERT.” Além da faixa de 3,5 GHz, as versões mantém os  10+10 em 700 MHz, os 90 MHz em 2,3 GHz e a banda milimétrica de 26 GHz. 

O prazo previsto de realizar o leilão “no primeiro semestre de 2021” leva em conta que, após a chancela da PFE, o edital volta ao Conselho Diretor da agência. Depois de aprovado, vai passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União, que tem 90 dias para opinar. “Depois do TCU, temos 30 dias para a realização do leilão. Só aí são 120 dias. Quatro meses após a aprovação do edital pela Anatel. São muitas etapas a serem vencidas para termos o edital na rua.”

A seguir, o ponto da entrevista em que o presidente da Anatel fala do edital do 5G: 


Internet Móvel 3G 4G
Aplicações são prioridade no laboratório 5G da NEC no Brasil

Com a meta de ser um orquestrador do 5G na sua volta à telefonia móvel, a NEC estrutura um laboratório, que começa a funcionar em janeiro de 2021, para fazer valer a validação das aplicações, conta o diretor da NEC, Roberto Murakami.

Carlos Baigorri toma posse no Conselho Diretor da Anatel

Em cerimônia no Ministério das Comunicações, o novo conselheiro afirmou que "a Anatel tem diversos desafios para o ano que vem, como o leilão de 5G, e temos que garantir que a conectividade chegar a todos rincões do País, com qualidade e a preços acessíveis à população para que todos os brasileiros possam exercer a sua cidadania”.

Feninfra diz que sem desoneração da folha país perde R$ 2 bilhões e 500 mil empregos em Telecom

Segundo a presidente da entidade, Vivien Suruagy, caso o Congresso não derrube o veto de Bolsonaro à medida, haverá um "apagão de tecnologia" no país.

STJ confirma condenação da Telefônica por falta de cartões telefônicos

Multa estipulada foi de R$ 3 milhões, por conta da não venda de cartões indutivos de 20 unidades. Condenação da operadora foi mantida pela 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

Plataforma OiPlace chega ao mercado com mais de 3 mil produtos. Tele também incluiu canal ao vivo no Oi Play, a partir da mudança da regra de conteúdo na Internet pela Anatel.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G