GOVERNO » Política Industrial

PCs perdem incentivo e indústria teme mercado cinza

Luís Osvaldo Grossmann ... 10/12/2019 ... Convergência Digital

As tratativas que estão viabilizando a aprovação de mudanças na Lei de Informática são comemoradas pela indústria de eletrônicos e componentes instalada no país, mas o resultado não chega a ser de soma zero. A indústria de computadores em particular perde um pouco com as novas regras, ao cair na regra geral dos incentivos tributários. 

É que a fabricação de computadores no Brasil até aqui conta com incentivos adicionais, fruto de programas que começaram a ser estabelecidos ainda na década de 2000, com foco em inclusão digital e na redução do mercado pirata. Ambos objetivos são considerados bem sucedidos, mas na prática alavancados por uma diferença que chega a 6% da carga tributária dos PCs. 

“As novas regras igualam os incentivos por baixo, o que na fabricação de computadores significa 6% na veia, muito mais que a margem do setor. Entendemos que isso merece ser reavaliado, até pelos resultados muito bons na redução do mercado cinza e para não prejudicarmos a inclusão digital”, afirma o diretor de relações governamentais da Positivo, José Goutier Rodrigues. 

O tempo é curto para novas mudanças no PL 4805/19, que precisa ser aprovado pelos Plenários do Senado e da Câmara antes de 20/12. Mas a indústria ainda trabalha por uma redação ou emenda durante essas votações finais sobre essa questão específica. 

 “Nosso compromisso é de tentar encontrar uma redação. Entendemos que a questão dos computadores tem a complexidade de fazer referência a produto, mas ainda estamos buscando um texto. Por que se não conseguirmos será uma perda para o setor de uma medida criada para combater o mercado cinza”, diz o diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, Anderson Jorge de Souza Filho. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PGFN concede poderes ao BNDES vender o Serpro

A fim de privatizar a maior empresa de TI do país, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional delegou competência ao banco de fomento para alienar a participação da União na estatal. 

Governo publica orçamento sem vetos, com menos recursos para MCTIC

Como aprovado em dezembro, Orçamento estipula R$ 11,81 bilhões para a pasta, 22% a menos do que a Lei Orçamentária original de 2019, depois contingenciada para R$ 13 bilhões. 

Governo diz que não vai vender dados de Serpro e Dataprev, mas pode terceirizar custódia

“Vários países não têm empresas de governo mas custodiam dados. Pode fazer isso internamente ou subcontratar”, diz o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel. 

Microcity recebe certificação CertiGov

Selo de compliance garante a integridade, a conformidade da empresa e a qualifica a vender ao governo reduzindo riscos nas transações.

Dataprev encerra atuação em 20 Estados e quer demissão de 15% dos empregados

Estatal oficializa o Programa de Adequação de Quadro(PAQ) onde coloca como meta a saída de 493 empregados. Também anuncia a centralização das atividades em sete regiões, onde existem data centers e unidades de desenvolvimento.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G