TELECOM

EUA e Austrália pressionam Brasil sobre riscos à segurança nacional com o 5G

Convergência Digital* ... 28/08/2019 ... Convergência Digital

A Secretaria de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República (SCI/PGR) recebeu, nesta terça-feira (27), a visita de duas delegações estrangeiras para tratar sobre segurança na telecomunicação. A primeira reunião foi com integrantes do Departamento de Assuntos Internos do governo australiano. A segunda, com membros do Federal Bureau of Investigation (FBI), dos Estados Unidos. Redes 5G, plataformas sociais e regulações sobre dados encriptados, espionagem e interferência estrangeira por meio de novas tecnologias, integraram a pauta de ambos os encontros.

Ao falarem sobre a implementação das redes 5G no Brasil, os representantes das duas delegações citaram os riscos envolvidos à segurança naciona, os quais, sugeriram, devem ser avaliados juntamente com as análises dos custos econômicos. Membros do FBI ressaltaram que as telecomunicações modernas representam um ecossistema complexo com várias partes interoperáveis que assumem papeis diferentes, porém, todas cooperando por meio de padrões compartilhados. Vale lembrar que por orientação dos Estados Unidos, a Austrália foi o primeiro país a anunciar o banimento de fornecedores chineses para redes 5G. 

Pela PGR, participaram das reuniões o secretário adjunto da SCI e integrante do Grupo de Trabalho de Tecnologias da Informação e Comunicação da Câmara do Consumidor e Ordem Econômica do MPF, Carlos Bruno Ferreira, o procurador da República Guilherme Raposo, que integra o Grupo de Apoio à Criminalidade Cibernética, da Câmara Criminal do MPF, e o secretário da Tecnologia da Informação e Comunicações, Mauro Sobrinho. Sobre os assuntos abordados com os representantes estrangeiros, Carlos Bruno destacou que é o momento certo para trazer essas discussões ao Brasil. “É necessário conhecer as experiências de outros países na matéria, já que os órgãos de segurança e inteligência, e também o Congresso brasileiro, estão atentos e abertos a adotar regulações modernas para este desafio contemporâneo", destacou.

* Com informações do MPF


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G