NEGÓCIOS

Embratel: modelo de negócio de IoT exige o compartilhamento de resultados

Por Fábio Barros e Carlos Afonso ... 01/11/2019 ... Convergência Digital

Atender as demandas geradas com a expansão da Internet das Coisas mobiliza os fornecedores de serviços no País. Uma das preocupações do ecossistema é definir os melhores modelos de negócios. Ao participar do Futurecom 2019, que aconteceu de 28 a 31 de outubro, em São Paulo, a diretora de Soluções de IoT da Embratel, Elisabete Couto, sustentou que entregar valor ao cliente será o diferencial de concorrência. A executiva lembrou que, no mundo IoT, há muitas soluções tradicionais que são apenas conectadas e que isso não necessariamente cria valor para os clientes.

“Temos que ter isso em mente”, provocou Elisabete Couto, citando o modelo de PaaS (Platform as a Service) como exemplo, uma vez que o cliente não investe nada e toda a solução é construída pelo provedor, que aos poucos vai se aprofundando no negócio do cliente e oferecendo mais e mais valor. Um case citado por ela é o da Rolls Royce, que vendia turbinas e passou a vender serviços de manutenção. Com a mudança, a companhia passou a antecipar problemas de seus clientes, agregando mais valor a seu produto.

“Também acho bacana o modelo por resultados, quando a empresa implanta toda a infraestrutura dentro do cliente e compartilha os resultados dele. É muito usado para eficiência energética. Outro modelo é o de venda recorrente, onde você subsidia o ativo e captura valor na reposição de suprimentos”, defende.

Com todos estes modelos no radar, Elisabete apontou que a Embratel vem se focando no desenvolvimento de soluções sob medida para as necessidades de grandes clientes. “Um projeto de IoT leva uns dois anos para ser concluído e envolve muito o ecossistema do cliente. Para desenvolvê-lo, usamos um framework construído pelo cliente. É um desafio”, completou. Assista à entrevista com a diretora da Embratel, Elisabete Couto.


Startup cria time de cientistas de dados para avançar nos negócios

Com sede nos EUA, a Fligoo atua nos segmentos de finanças, educação e saúde, e sabe da relevância de ter profissionais capacitados para lidar com os dados. "Prepare-se o tempo todo. Estude. Não espere a necessidade chegar", aconselha Leandro Ferrado.

São Paulo responde por mais de metade das prestadoras de serviços de TI

Em 12 anos, o setor de TI emprega aumentou em 95% as vagas e chega a quase 500 mil trabalhadores.

Fintechs mostram sua força no cadastramento para o PIX

Banco Central revela que Nubank, Mercado Pago e PagSeguro foram as instituições com mais cadastros de chaves de identificação para o uso do pagamento instantâneo, a partir de 16 de novembro. Em nove dias, o Banco Central contabiliza 33,7 milhões de cadastramentos.

STJ: Uso de criptomoedas para lavar dinheiro é crime de competência estadual

Criptomoedas não são caracterizadas pelo Banco Central como moeda tampouco são consideradas valor mobiliário pela Comissão de Valores Mobiliários, portanto, o ministro Felix Fischer, do STJ, entendeu que não cabe à justiça federal julgar crimes envolvendo o ativo.

ABES: desoneração da folha é vital para manter empregos em software e serviços

O Brasil cresceu 10,5% em TI em 2019, e deverá, apesar da Covid-19 e da crise econômica, registrar um crescimento de 4% em 2020, afirmou o vice-presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira das Empresas de Software, Jorge Sukarie.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G