Clicky

INOVAÇÃO

Pix: BC propõe quatro saques gratuitos por mês e R$ 500 por dia

Convergência Digital ... 10/05/2021 ... Convergência Digital

O Banco Central colocou em Consulta Pública nesta segunda, 10/5, a proposta de criação de dois novos serviços relacionados ao Pix: o Pix Saque e o Pix Troco. Ambos possibilitarão a retirada de recursos em espécie, a diferença entre os dois é que o Pix Saque é uma transação exclusivamente para saque, enquanto o Pix Troco está associado a uma compra ou prestação de serviço. 

Para o BC, as duas inovações trarão mais conveniência aos usuários, ampliando a capilaridade do serviço de saque; e o aumento da competição ao proporcionar melhores condições de oferta e de precificação dos serviços de saques, principalmente pelas instituições digitais e todas as demais instituições que não contam com rede própria de agências ou de caixas eletrônicos. 

Os serviços poderão ser disponibilizados por agentes de saque por meio da celebração de contrato com um participante do Pix – instituição financeira ou instituição de pagamento. Os agentes de saque podem ser estabelecimentos comerciais ou empresas dos mais diversos tipos ou, ainda, instituições especializadas na oferta de serviço de saque, a exemplo das entidades que provêm os serviços dos caixas 24h. O Pix Saque poderá, ainda, ser oferecido por instituições financeiras em geral, em suas redes próprias de ATMs. 

Pela proposta colocada em Consulta Pública, os usuários terão quatro saques gratuitos por mês, seja utilizando Pix Saque ou Pix Troco. A partir da quinta transação, as instituições financeiras ou de pagamentos detentoras da conta do sacador poderão cobrar uma tarifa pela transação. Os sacadores não poderão ser cobrados diretamente pelos agentes de saque.

O BC definirá o limite de valor máximo que o usuário poderá sacar por dia, a princípio estipulado em R$ 500. Respeitado esse limite máximo, as instituições participantes do Pix e os agentes de saque definirão em contrato bilateral as condições para a prestação do serviço. Ou seja, os estabelecimentos comerciais e demais agentes de saque terão liberdade de definir se querem ofertar apenas Pix Saque, apenas Pix Troco ou ambos; os dias e períodos que pretendem disponibilizar o serviço; informações sobre os valores (exemplo, apenas múltiplos de R$ 10), entre outros.

A previsão é que o Pix Saque e o Pix Troco possam ser usados pelos consumidores no segundo semestre deste ano. Na prática, a experiência do usuário é idêntica à de um pagamento via Pix: fará a leitura de um QR Code, autenticará o pagamento e comandará a transferência. A diferença é que, no lugar de receber um produto ou serviço em contrapartida, receberá o correspondente valor em dinheiro em espécie.

Todas as pessoas que tiverem conta em uma das instituições participantes do Pix poderão utilizar os serviços. Os interessados em contribuir na Consulta Pública poderão encaminhar suas propostas e sugestões pela página do Banco Central até 9 de junho. 

O Banco Central (BC) informa ainda que registrou em abril 478 milhões de transações via Pix. De acordo com o chefe do departamento de competição e estrutura do mercado financeiro da autoridade monetária, Angelo Duarte, a autoridade monetária esperava, como vem acontecendo, que o “uso do Pix no varejo se desse numa velocidade mais lenta” do que no caso das pessoas físicas. Isso porque a adoção por empresas exige uma estrutura maior. Mas nas últimas semanas as transações no varejo têm crescido “a taxas mais elevadas” do que para pessoas físicas. “A curva de adoção no varejo está saindo de acordo com o que a gente esperava”, completou.


TCS troca identidade digital por soluções de Blockchain

Fornecedora de serviços de TI vai projetar soluções para Saúde, Energia, Educação e Serviços Financeiros na América Latina em parceria com a LACCHain, iniciativa do BIT Lab.

IA vai além do diferencial competitivo: ela ditará a sobrevivência das empresas

Ayesha Khanna, cofunddora e CEO da ADDO AI, diz que Inteligência Artificial faz diferença ao ser centrada no cliente; para a redução de riscos e combate à fraude; para a melhoria dos processos e para fomentar a inovação.

Blockchain vai compartilhar dados de forma segura, escalável e em tempo real

A tecnologia pode estar, agora, vivendo um momento de baixa, mas ela será crucial para os próximos passos, decretou o diretor para tecnologia da Accenture, Fernando Taniguti. "Blockchain, IA e nuvem pública viabilizam a mudança que estamos esperando", reforçou.

Banco do Brasil: Sem profissionais de software, Brasil padece na economia digital

O gerente executivo do DITEC, Igor Regis, lembra ainda que o Internet Banking foi atropelado pelo Mobile Banking e diz que duas tecnologias desafiam o setor financeiro: Blockchain e computação em nuvem.

Apenas 7% das indústrias têm planos de transformação digital

A jornada digital está muito mais no discurso do que na prática, pontua estudo da Accenture. Tanto que somente 11% das entrevistadas estão avançadas em vendas digitais. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G