Home - Convergência Digital

Bloqueio de celular pirata não impediu disparada de 344% no mercado cinza

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 12/03/2020

Iniciado ainda em 2018 e estendido a todo o país em 2019, o bloqueio dos celulares piratas não parece ter inibido os brasileiro de comprarem aparelhos falsificados. Segundo dados da IDC Brasil, enquanto a venda de celulares cresceu 3,3%, para 48,6 milhões de unidades ao longo do ano passado, o crescimento do mercado cinza foi de 344%, ou 3,8 milhões de aparelhos.

Os sinais são de que o preço se tornou um fator fundamental na decisão de troca de equipamentos. Enquanto os 45,5 milhões de smartphones vendidos representam um crescimento de 2,2% nesse tipo de aparelho, os 3,1 milhões de ‘feature phones’, os modelos mais simples e mais baratos, representaram um crescimento de 23,5% sobre os números de 2018. 

Além disso, em contraponto ao forte crescimento dos celulares “piratas” no ano passado, os feature phone podem não ter escapado das falsificações, mas os 677,8 mil desses aparelhos vendidos no mercado cinza representaram uma queda de 42,3% na comparação com o ano anterior. 

Outro sinal de que os preços dos aparelhos foram determinantes para os compradores é que metade das vendas de smartphones no ano passado, 22,1 milhões deles, envolveram os modelos intermediários de entrada, que custam entre R$ 700 e R$ 1099, ou 33% acima da participação desse segmento em 2018. 

Mas vale registrar que os  smartphones super premium, acima de R$3 mil, também se destacaram e tiveram a segunda maior alta em 2019, de 17,2%, com 3 milhões de unidades vendidas. Segundo a IDC Brasil, o bom desempenho está diretamente ligado às promoções de final de ano. 

“O melhor desempenho do mercado de celulares foi registrado no segundo e no quarto trimestres de 2019. O 2º tri se destacou porque operou normalmente, enquanto em 2018 sofreu os impactos da greve dos caminhoneiros. Já no 4º tri, houve um avanço por conta de uma Black Friday que bateu recordes de vendas pela segunda vez consecutiva”, diz a consultoria. 

Como resultado das vendas maiores em 2019, a receita também aumentou e foi 5,6% superior ao registrado em 2018, chegando a R$ 56,7 bilhões, sendo R$ 56,3 bilhões pela venda de smartphones e R$ 376,8 milhões de feature phones.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/05/2020
TST adota aplicativos de mensagens para conciliar patrões e empregados

18/05/2020
MPF quer que STF autorize acesso a dados de celular sem ordem judicial

14/05/2020
LGPD faz falta para cuidar da privacidade no uso de dados na Covid-19

13/05/2020
TJSP revê decisão e autoriza monitoramento de celular para controle da Covid-19

11/05/2020
Dispara número de estados e municípios que usam dados celulares na Covid-19

08/05/2020
STF suspende Lei de SC que proíbe SVA nos planos de telecom

04/05/2020
STF derruba lei de São Paulo sobre instalação de antenas de celular

29/04/2020
Quatro estados já usam e 10 estão na fila para medir isolamento com celulares

17/04/2020
Cliente da TIM consegue liminar contra monitoramento em São Paulo

16/04/2020
Confederação Nacional do Turismo vai ao STF contra rastreamento de pessoas pelo celular

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site