Clicky

Home - Convergência Digital

Para TIM, migração para banda Ku vai atrasar ainda mais 5G

Luís Osvaldo Grossmann - 29/09/2020

No coro das operadoras móveis que atuam no Brasil, o presidente da TIM, Pietro Labriola, disparou nesta terça, 29/9, que o leilão do 5G deve optar pela mitigação de interferências que o uso da faixa de 3,5 GHz provoca em antenas parabólicas. Para ele, a alternativa de migrar essa recepção para a Banda Ku, acima de 10 GHz, implica em demora na implantação da nova onda tecnológica porque a faixa ficará sem uso até que essa operação seja concluída. 

“Ouvimos falar em Banda C, Banca Ku, mitigação ou migração. Temos grandes profissionais na Anatel e nas empresas que estão debatendo esse assunto e acho que vão encontrar uma solução. Minha abordagem é mais pragmática. Não podemos leiloar uma frequência que ficará ociosa. Temos que recuperar o atraso no 5G. Então a solução melhor pode ser a mitigação, porque permite ter mais rapidamente possível a disponibilidade da frequência para começarmos a construir esse novo serviço”, afirmou Labriola ao participar do Painel Telebrasil 2020. 

Ele também aproveitou para reforçar os apelos por um leilão não arrecadatório. “Esse é o primeiro desafio. Não digo nada diferente do que temos falado nas ultimas semanas. E o que me deixa com grande satisfação é que os representantes do Ministério e da Anatel estão com o mesmo pensamento.

Para o executivo, o leilão “não deve ser arrecadatório porque é difícil hoje projetar qual será a receita com 5G, diferentemente do que aconteceu no 3G e no 4G. Temos dificuldade de projetar o fluxo de caixa nos próximos anos porque o 5G vai ser uma plataforma que vai habilitar um novo modelo de negocio, o B2B2C.” 

“Hoje o modelo é mais B2C, no qual nós vendemos para cliente final com o 5G, vai ser B2B2C, em que o segundo B são setores muito importantes, como saúde, segurança, transporte. Um leilão não arrecadatório vai garantir investimento em infraestrutura para habilitar serviços a toda essas indústrias”, completou. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

18/11/2020
Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

17/11/2020
TBNet fecha parceria com tele para transformar 23 mil ATMs em hotspots Wi-Fi 5G

16/11/2020
EUA autorizam Qualcomm a exportar chips 4G para Huawei, mas proíbe o 5G

13/11/2020
Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

12/11/2020
Anatel e ABDI vão testar uso industrial e redes privadas no 5G

12/11/2020
Carlos Baigorri é o novo relator do edital do 5G na Anatel

11/11/2020
OpenRAN: padronização é obrigatória para abrir o 'jogo' aos pequenos fornecedores

10/11/2020
Infraestrutura é o recurso escasso do 5G no Brasil

09/11/2020
Procon-SP notifica Claro, Motorola e Samsung sobre venda de 5G

Destaques
Destaques

Aos 23 anos, Anatel lista 5G como próximo desafio

“Entre os desafios que nos aguardam, a economia brasileira precisa ter sua digitalização aprofundada, a conectividade precisa se tornar mais real na vida dos brasileiros”, destacou o presidente da agência, Leonardo de Morais, também ressaltando a segurança cibernética e renovação das concessões em 2025.

Classes D e E só têm o celular para teletrabalho e aulas remotas

Quase 40% dos alunos usam apenas os celulares para acompanhar as aulas online no Brasil, revela a 3ª edição do Painel TIC Covid-19, do CGI.br. No levantamento, porém, 36% dos alunos reclamam da baixa qualidade da conexão à Internet.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site