Clicky

Home - Convergência Digital

Para a Huawei, necessidade de mais antenas para 5G é mito

Luís Osvaldo Grossmann - 09/03/2020

A Huawei sustenta que a implantação do 5G não implicará em aumento no número de antenas de celular a serem instaladas nas cidades. Segundo a fabricante, o avanço com a nova geração tecnológica permitirá às operadoras garantir a mesma cobertura com reaproveitamento dos mesmos sites do 4G. 

“Essa suposta necessidade de mais antenas é um mito. Um mito que nasce de uma lógica natural, uma vez que o 5G vai usar frequências mais altas, como é o caso do 3,5 GHz. Mas a tecnologia também evoluiu e temos solução de MIMO massivo que faz com que seja possível uma cobertura de um para um”, afirma o diretor de soluções tecnológicas da Huawei, Carlos Roseiro.

Alvo de pressões comerciais dos EUA – e que estão sendo assimiladas por parte do governo brasileiro – a fabricante chinesa busca demonstrar ao mercado, especialmente as operadoras, que há ganhos econômicos com a implantação do 5G. 

Nas projeções da empresa, a tecnologia endereça os principais componentes de custo de manutenção (Opex) das ERBs. “60% do custo é com aluguel do site, transmissão e energia. O 5G resolve isso, pois gasta a mesma energia, mas uma antena fornece capacidade 10 vezes maior. E nos sites 4,5G, basta adicionar uma antena para as novas frequências”, completa o diretor da Huawei. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/01/2021
Operadoras abraçam Open RAN aberto, mas cobram financiamento da União Europeia

19/01/2021
EUA querem dar a faixa de 12 GHz para o 5G

15/01/2021
Teles querem deixar migração das parabólicas para depois do leilão 5G

11/01/2021
Consumidor abre mão de acesso 5G por bateria com mais duração

05/01/2021
Brasileiro será CEO global da Qualcomm a partir de junho

18/12/2020
Abinee: Diferença de custo entre migração e mitigação no 5G é menor do que apontam teles

16/12/2020
Capdeville, CTIO da TIM: "Usamos equipamentos chineses há vinte anos e não há nada que desabone a rede brasileira"

16/12/2020
TIM: dizer que 5G DSS não é o 5G é obrigatório para não queimar a tecnologia

15/12/2020
Ceitec, no RS, tem estrutura para produzir chips 5G

11/12/2020
Algar Telecom testa OpenRAN em centro de 5G criado pela IBM, Flex e FIT

Destaques
Destaques

Uso da faixa de 700 MHz deixa 4G disponível 80% do tempo no Brasil

Segundo a mais recente análise da OpenSignal, TIM tem a rede de quarta geração com maior disponibilidade, 88,2%, à frente da Claro (79%) e Vivo (79,5%), Oi (70,2%). 

Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026

Nova edição do Relatório de Mobilidade da Ericsson aponta que até o final de 2020, mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo já estará usando 5G. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site