Home - Convergência Digital

Interferência nas parabólicas pode reduzir espectro para 5G

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 08/05/2020

A garantia de convivência do 5G com a recepção das parabólicas, exigência da política pública expressa em Portaria do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, vai implicar em medidas adicionais para evitar a interferência. Entre elas, a redução do espectro disponível para a nova tecnologia, notadamente na ‘banda média’ a partir de 3,5 GHz. 

“Para garantir a recepção satelital pode ser necessário não só uma combinação de melhores filtros, mas uma definição de faixa de guarda, uma portadora menor, além de outras soluções específicas, como diminuição de potencia 5G, distanciamento, instalação de anteparos”, afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, ao tratar do edital em evento online promovido pelo portal Tele.Síntese nesta sexta, 8/5. 

“Temos a questão de garantir a convivência e talvez os 100 MHz [de banda de guarda] precisem se tornar 120 MHz. Simulações que fizemos apontaram nesse sentido. Talvez precisemos de uma banda de guarda um pouco maior. E aí não necessariamente teremos os 400 MHz, mas 380 MHz ou alguma coisa nesse sentido”, completou. 

Além disso, uma das discussões à mesa prevê que a mencionada banda de guarda seja destinada para as aplicações privadas industriais, como demandam associações fabris e fornecedores de componentes. “Uma das críticas relacionadas à solução de mitigação é que ficou uma banda de guarda em faixa de espectro muito nobre, de 3,7 a 3,8 GHz. E uma forma de endereçar essa questão é destinar esses 100 MHz para aplicações industriais indoor, que portanto não gerariam interferência nos sistemas de TVRO. É uma agenda que está na agência.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/06/2020
Oi lança internet por fibra ótica com 400 Mega de velocidade

02/06/2020
Verizon e AT&T admitem que venderiam 5G fixo que 'nem água' por conta da Covid-19

01/06/2020
CPQD se filia à consórcio de inovação aberta para o 5G

29/05/2020
Aloo Telecom cede rede de fibra ótica para viabilizar UTI virtual

29/05/2020
Anatel discute quais dados econômicos vão ser coletados das grandes operadoras

28/05/2020
Por ordem judicial, Anatel muda norma para quebrar sigilo de quem ligou

28/05/2020
Anatel afasta redutor de multas em sanções de obrigação de fazer

28/05/2020
Anatel vai discutir uso dos espectros ociosos em consulta pública

28/05/2020
MP de Brasília abre inquérito para apurar venda de dados pessoais

28/05/2020
Por mudança no plano de recuperação judicial, Oi adia divulgação de resultados

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site