Clicky

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Por Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 31/07/2020 ... Convergência Digital

A Huawei defende que a faixa de 6GHz, com 1,2 GHz de espectro, não seja 100% destinada para os serviços não licenciados. A fabricante defende a reserva de 500 MHz para a oferta de serviços licenciados a serem decididos mais à frente.

"Se dermos toda a faixa agora para não licenciados, depois não temos como recuperar. A nossa posição é deixar 500 Mhz da parte superior do espectro para uma decisão futura, até para entender a evolução da tecnologia", afirmou Carlos Lauria, Diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios da Huawei, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado nesta quinta-feira, 30/07, pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Segundo ele, não há uma certeza que o 5G não licenciado vá ter as mesmas características do 5G licenciado, em especial, de latência. "Ainda há muito por se definir para o 5G não licenciado", ressaltou. Lauria também lembrou que, hoje, o Wi-Fi é usado porque o consumidor não quer gastar seu plano de dados. Mas com o 5G, os planos serão diferenciados e o que vai valer são a latência, mais do que o gasto do consumo de dados.

"O Wi-Fi tem uma grande demanda porque as pessoas não querem extrapolar seus pacotes de dados, mas isso vai mudar", diz. Assistam a participação de Carlos Lauria, da Huawei, no eForum Wi-Fi 6.

Veja abaixo a íntegra do evento.


Internet Móvel 3G 4G
Leilão 5G: TIM briga por 3,5GHz e 26 GHz e abre mão da faixa de 2,3GHz

Pelas regras do edital, a TIM já não poderia participar do leilão de 700 Mhz, também descartada pelo CEO, Pietro Labriola. Os valores a serem aportados no 5G ainda não estão definidos e não fazem parte dos R$ 4,4 bilhões previstos para 2021. "Ficamos felizes com o 5G de verdade, o 5G standalone", disse o executivo.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Anatel aprova uso da faixa de 6GHz para não licenciado e Brasil se abre para Wi-Fi 6E

Agência manteve as condições submetidas à consulta pública, de uso integral da frequência entre 5,925 GHz e 7,125 GHz para aplicações não licenciadas. 

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.

Baigorri: Esperar demanda para exigir 5G pleno é o oposto de política pública

“O desconto no valor da frequência é uma decisão de Estado para financiar o investimento. É usar recurso público para garantir que Macapá, Boa Vista e Rio Branco tenham as mesmas funcionalidades de São Paulo”, afirma o relator do 5G na Anatel, Carlos Baigorri. 

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

STF descarta ação da PGR e mantém gratuidade do direito de passagem

Maioria do Plenário acompanhou o entendimento do relator, Gilmar Mendes, de que um ordenamento unificado nacional faz parte das competências da legislação federal. Para Conexis, "STF reconheceu papel vital da conectividade".




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G