NEGÓCIOS

Micro Focus: Fevereiro é crucial para empresas que querem se ajustar à LGPD

Ana Paula Lobo ... 03/02/2020 ... Convergência Digital

A Micro Focus passou por uma reestruturação relevante após a integração da área de software da HP em 2017. Foram momentos de dificuldades - a integração não foi fácil - mas determinou uma companhia com novos alvos de atuação: soluções de automação de data center, de gerenciamento de storage, segurança da informação e automação. O mundo do mainframe não foi abandonado, mas novas tecnologias ganharam força como analytics, BI e Inteligência Artificial. No Brasil, uma das áreas de grande aposta para sustentar um crescimento é a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, com vigência prevista para agosto.

Na semana passada, o executivo esteve no Brasil para visitar clientes e conversar com parceiros para explicar a incorporação do País à diretoria de Mercados Emergentes.  Ao Convergência Digital, Gonzalo Usandizaga, garantiu que a integração HP/Micro Focus está muito perto de ser concluída com mais de 95%  das soluções integradas, o que fez o porftólio chegar a 300 disponíveis ao mercado. No Brasil, a proposta é replicar as práticas adotadas na África do Sul, na Rússia, na Arábia Saudita, que também estão englobadas no chapéu de mercados emergentes.

"Uma das ações relevantes será valorizar os parceiros. No Brasil, temos 23% dos negócios feitos com parceiros. Mas há países onde chegamos a 86%. Não vamos chegar a 86% num curto e médio prazo, mas podemos valorizar os parceiros e criar modelos de atuação", conta Marco Leone, vice-presidente e gerente geral da Micro Focus Brasil.

O trabalho de aproximação com os parceiros já começou para identificar onde será possível estreitar os laços. Hoje a empresa trabalha com 105 parceiros e a ideia é consolidar o modelo para as áreas prioritárias, como a LGPD, onde companhia possui uma solução básica que pode ser implantada em oito semanas nas pequenas e médias empresas, um alvo a ser trabalho no País.

A estratégia para encorpar a carteira de clientes é replicar o conhecimento adquirido com a adequação distinta na União Europeia à GDPR. “Muitos países lá tiveram e têm momentos distintos. Aqui, as empresas têm de entender que a lei vai impactar os negócios e haverá consequências de não se estar compliance à legislação de dados pessoais", observa o VP de mercado emergentes.

Com mais de 1800 clientes no Brasil, de serviços financeiros a grandes cadeias de varejo, a Micro Focus tem a meta ambiciosa se tornar uma companhia referência em TI no País já em 2020. "Temos muito trabalho, mas por termos como fazer software, como atuar em segurança, risco e governança, além de BI, analytics e outras por conta da integração com a área de software da HP, temos a certeza que somos a empresa para ajustar uma corporação, de qualquer tamanho, à jornada digital", completa Gonzalo Usandizaga.






Big data e IA para saúde fazem Semantix comprar a Tradimus

Empresa brasileira adquiriu solução voltada para gestão dos recebimentos de pagamentos das seguradoras e operadoras de planos de saúde pelos serviços prestados. Valor da transação não foi revelado pelas partes.

Fenainfo faz manifesto pela retomada das atividades econômicas

Entidade, que reúne mais de 120 mil empresas de TI, afirma que 'diante da paralisação de muitos dos seus clientes, as empresas de TI também correm o risco de parar'.

Coronavírus: Generali amplia uso de PC alugado da Simpress por home office

Seguradora decidiu dobrar a quantidade de equipamentos contratados por outsourcing para manter o funcionamento dos negócios. CEO da Simpress, Vittorio Danesi, diz que, em sete dias, foram alocados mais de três mil notebooks em distintos clientes.

HP: proposta da Xerox é irresponsável e fora da realidade

Fabricante volta a dizer não para a oferta de US$ 35 bilhões e assegura que "o negócio e impõe sinergias irrealistas e inatingíveis'.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G