Clicky

Home - Convergência Digital

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 19/11/2020

Ondas milimétricas - que no Brasil envolve, inicialmente, a faixa de 26 GHz no leilão previsto do 5G para 2021 - não são apenas mais uma banda, mas, sim, onde os novos serviços vão, de fato, acontecer, por conta das baixíssimas latências, afirmou o VP da Qualcomm Brasil, Francisco Soares, ao participar do evento e-Fórum 5G mmWave, realizado pela Network Eventos, com o Convergência Digital.

Posição defendida também pelo CSO da Nokia Brasil, Wilson Cardoso. "O 3,5GHz será mais do mesmo, para fazer banda larga. O que vai mudar o modelo de negócios é o uso das ondas milimétricas. São elas que darão ganho de produtividade esperado com o 5G", observou. "Quem garante que os dados transmitidos vão chegar e na latência desejada serão as ondas milimétricas. Elas têm de ser definidas agora", adicionou Soares, da Qualcomm.

O executivo da Nokia Brasil lembrou que, até 2025, são esperadas a instalação de pelo menos 230 mil novas ERBs apenas para atender mercados verticais, como o da indústria 4.0 e saúde, exemplificou. "São ERBs menores, instaladas internamente, mas que exigem espectro e baixa latência", reforçou Cardoso.

Soares, da Qualcomm, salientou que as aplicações de robótica, Inteligência Artificial e manutenção preditiva vão exigir o uso das ondas milimétricas. "Tem que comprar agora. Não dá para adiar para depois", insistiu. No edital do leilão 5G - a ser discutido ainda no Conselho Diretor da Anatel - está prevista a venda da faixa de 26 GHz junto com a faixa de 3,5GHz. Assistam à posição dos executivos no e-Fórum 5G mmWave.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/02/2021
Leilão 5G: Teles aguardam por 'eventuais ajustes' no edital e pelo TCU

26/02/2021
Leilão do 5G vai criar empresa gestora de R$ 5 bilhões em compromissos

26/02/2021
Rede segura do governo vai usar faixa do 4G e bane Huawei como fornecedor

26/02/2021
Governo e teles negociam um piloto 5G standalone

26/02/2021
Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

26/02/2021
Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

25/02/2021
Anatel aprova edital e antecipa 5G pleno nas capitais para julho de 2022

25/02/2021
Leilão do 5G nos EUA bate recorde e apura US$ 81,2 bilhões

24/02/2021
WEG testa planta piloto com 5G privado standalone da Nokia

24/02/2021
ANPD: Quem coletar dados no 5G será responsável pelo dano ao usuário

Destaques
Destaques

5G será muito mais B2B e vai injetar R$ 13,5 bilhões no mercado nos próximos dois anos

Finalmente o 5G entrou na lista das dez previsões para os mercados de Tecnologia e Informação e Telecomunicações da IDC para 2021/2022. Consultoria prevê que a receita virá de novos negócios com IA, IoT, cloud, segurança, robótica e realidade aumentada e virtual.

5G só começa depois de garantia de recepção nas parabólicas

Pelo cronograma previsto na proposta de edital, oferta do 5G tem início 300 dias depois de formalizada a ‘compra’ das frequências – portanto no segundo semestre de 2022.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site