Home - Convergência Digital

Huawei fecha acordo com Positivo para voltar a vender celulares no Brasil

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 06/06/2018

Cinco anos depois da primeira tentativa, a Huawei vai voltar a apostar na venda de smartphones no Brasil. A fabricante chinesa anunciou nesta quarta, 6/6, um acordo com a brasileira Positivo, que primeiro vai importar e comercializar os aparelhos, mas com planos de trazer a montagem também para o país.

“O custo ainda é alto para fabricação [no Brasil]. Viremos passo a passo. Vamos tentar introduzir os produtos aos consumidores. Se os brasileiros gostarem muito, vamos para o próximo plano”, afirma o chefe de desenvolvimento de equipamentos da Huawei no Brasil, Adam Ersong. E o que seria uma indicação de que os brasileiros gostaram? “Se conseguirmos pelo menos 1% de market share no primeiro ano, pode acontecer”, completa.

O anúncio fez parte das comemorações de 20 anos da chegada da fabricante chinesa no país. E marca uma virada importante nos negócios da empresa. Segundo seu chairman global, Liang Hua, este ano, pela primeira vez, as receitas com produtos de consumo, dos quais os smartphones são o carro-chefe, serão superiores ao faturamento com equipamentos de rede.

A Huwei vendeu 153 milhões de celulares em 2017, o que representou 8,8% do mercado mundial de aparelhos. Para 2018, projeta uma fatia um pouco maior, de 11,3%. A empresa já é a terceira maior no ramo, atrás apenas da coreana Samsung e da norte-americana Apple. E parte para uma estratégia que inclui as vendas no Brasil para tentar tomar o segundo lugar da dona dos iPhones.

A meta indicada pela Huawei significa conseguir vender 500 mil aparelhos no primeiro ano. Em princípio chegarão o celular top da fabricante, a linha P20, e um intermediário, da linha chamada ‘nova’. Da parte da Positivo, que já atua na revenda de aparelhos de entrada, há uma clara confiança de que a ‘fase 2’ virá em breve.

“Nesta primeira etapa temos o licenciamento pela Positivo. Vamos trabalhar na criação e percepção dessa marca pelos brasileiros. São produtos muito premium, um segmento que ainda não atuamos porque estamos mais colocados em produtos de entrada. Mas existe um plano de médio-longo prazo. Nosso objetivo é sermos os fabricantes”, revela o vice-presidente de mobilidade da Positivo, Norberto Maraschin Filho.

A expectativa da Huawei e da Positivo é que os aparelhos comecem a ser vendidos em agosto, no máximo em setembro deste 2018. Os executivos não quiseram adiantar qual será o preço dos produtos no Brasil, mas dão pistas de que são aparelhos, como o P20, que virão competir com as linhas premium da concorrente Samsung. Na Europa, onde já foi lançada, essa linha top está na casa dos 800 Euros, ou coisa de R$ 3,5 mil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

09/09/2019
Microsoft sai da zona de conforto e levanta a voz em defesa da Huawei

28/08/2019
Smartphones receberam seis tentativas de ataques por minuto na América Latina

23/08/2019
Donald Trump ordena que empresas dos EUA fechem operações na China

21/08/2019
5G vai chegar a quase 60% da população em 2025

18/08/2019
Trump é pressionado e anuncia novo prazo para a Huawei atuar nos EUA

16/08/2019
Huawei traz relógio inteligente para o Brasil

12/08/2019
Programa Fábrica de Talentos capacita mais de 300 alunos

10/08/2019
Huawei confirma investimento de R$ 3,2 bilhões até 2022 em São Paulo

09/08/2019
Huawei diz considerar instalar uma fábrica em São Paulo

01/08/2019
Brasileiro elege o smartphone como meio digital para fazer transação bancária

Destaques
Destaques

América Latina tem menos de 20% de espectro disponível para novos serviços móveis

Mesmo o Brasil, que tem 609 MHz de espectro destinado aos serviços, fica bem abaixo dos 1960Mhz recomendados pela União Internacional das Telecomunicações (UIT) para 2020.

5G vai chegar a quase 60% da população em 2025

Tecnologia vai crescer muito mais rápido do que qualquer outra geração sem fio, revela estudo de megatências feito pela Huawei. O estudo também prevê que o volume anual de dados globais chegue a 180 ZB (1 ZB = 1 trilhão de GB).

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site