INCLUSÃO DIGITAL

Claro e TIM, por R$ 3 milhões/mês, fornecem internet para 540 mil no Distrito Federal

Luís Osvaldo Grossmann ... 16/09/2020 ... Convergência Digital

Mês e meio depois de aberta a chamada pública do Distrito Federal para fornecimento de internet para 470 mil estudantes e 72 mil professores da rede pública, Claro e TIM aderiram ao edital do governo de Brasília. A demora envolveu ajustes no edital do chamamento público, mas que não chegaram a modificar as condições principais, nem o valor de R$ 3 milhões mensais previsto. 

“Finalmente nossos estudantes terão direito a internet patrocinada, os professores não precisarão usar a própria internet para acessar a plataforma. Assinamos o contrato das operadoras garantindo uma importante ferramenta para propiciar ensino de forma remota durante a suspensão das atividades presenciais”, festejou em vídeo o secretário de educação, Leandro Cruz. 

O chamamento foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 3 de agosto, centrado na contratação na modalidade de acesso patrocinado, em um total de 300 milhões de MB de dados por mês, a 1 centavo por MB, totalizando R$ 3 milhões mensais pelo serviço. O objetivo é dar acesso à plataforma educacional usada nas aulas remotas – no caso de Brasília, o Google para Educação – daí o mecanismo de cobrança reversa. 

Quem conhece o processo de perto aponta que é uma contratação em formato muito semelhante ao realizado por vários outros estados, inclusive no valor, estipulado em R$ 0,01 por MB. O valor de R$ 3 milhões comporta o total de acessos patrocinados, com rateio proporcional a depender de qual operadora é o chip usado no dispositivo de cada estudante ou professor. 


Carreira
Trabalho remoto agora é oficial na Algar Telecom

Funcionários da TI só terão de ir aos escritórios duas vezes por semana. Companhia também instituiu um valor de R$ 110,00, como auxílio mensal para despesa com Internet e luz no home office.

MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G