Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Sem interesse das teles, Brasília estuda isenção de ICMS para internet de alunos

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/09/2020 ... Convergência Digital

Com uma chamada pública aberta há 30 dias sem que nenhuma operadora móvel tenha confirmado adesão, o governo do Distrito Federal estuda dar isenção de ICMS para despertar o interesse das teles no contrato para conexões móveis a 470 mil alunos e 70 mil professores. 

“O serviço seria disponibilizado automaticamente a partir do credenciamento das empresas e já seria possível oferecer o serviço no início de agosto. Mas até o momento as empresas não se apresentaram ao credenciamento”, admitiu a secretaria de Educação, em nota a esta Convergência Digital. 

O órgão afirma, no entanto, que “vai tomar as medidas necessárias” e já avalia algum incentivo fiscal. “Está sendo avaliado projeto de isenção do ICMS para as operadoras, de forma que ajude no credenciamento destas empresas para o serviço. E pode ser enviado à Câmara Legislativa nos próximos dias.”

O chamamento foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 3 de agosto, centrado na contratação na modalidade de acesso patrocinado, em um total de 300 milhões de MB de dados por mês, a 1 centavo por MB, totalizando R$ 3 milhões mensais pelo serviço. Segundo o governo do DF, estão cadastrados na plataforma de aula pela internet 470 mil estudantes e 72 mil professores. 

Na televisão, o secretário de Educação, lamentou o desinteresse e indicou que as condições, especialmente o preço previsto, são as mesmas de processos muito semelhantes em outros estados. “É o mesmo valor que Minas, Espírito Santo, Paraíba e outros estados pagam pelo megabyte. Brasilia é menor, tem uma escala menor de estudantes, então estamos neste momento em uma discussão de valor com as operadoras”, afirmou Leandro Cruz. 

A Claro, que tem 38% das conexões móveis no DF e naturalmente ficaria com a maior fatia do acesso patrocinado pelo governo de Brasília, indicou que mantém tratativas com a secretaria de Educação. “Costumamos participar de diversos processos licitatórios para o fornecimento de serviços de Internet, inclusive temos projetos em sete estados nos quais fornecemos soluções a preços de custo. Em relação ao edital do Governo do Distrito Federal, pedimos esclarecimentos de alguns pontos e estamos aguardando retorno.”

A TIM e a Vivo também responderam que seguem em negociações. “A TIM informa que está em contato com o governo de Brasília sobre o referido edital.” "A Vivo reconhece a importância do projeto e informa que continua à disposição do Governo do Distrito Federal para chegar a um acordo satisfatório para todos". A Oi não respondeu. 


Carreira
Startup Zé Delivery usa LinkedIn para contratar em tecnologia

Empresa especializada em entrega de bebidas na América Latina, com atuação em mais de 200 cidades no Brasil, vai manter o home office para seus funcionários. Entre vagas está a busca por analistas de dados.

MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G