Clicky

Governo exige 4G em 1,5 mil localidades como meta de universalização

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/12/2018 ... Convergência Digital

O governo federal publicou nesta sexta, 21/12, depois de uma longa espera, o Decreto 9619/18, com novas metas de universalização para as concessionárias de telefonia fixa – Oi, Telefônica, Embratel, Algar e Sercomtel. E traz o que as operadoras esperam há pelo menos três anos: o fim dos orelhões.

Junto a esse movimento, no entanto, vem outro. O Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações incluiu na proposta de decreto a obrigação de cobertura de 1.473 localidades com “sistemas de acesso fixo sem fio com suporte para conexão em banda larga”.

Esses sistemas “deverão viabilizar tecnicamente, em regime de exploração industrial, a oferta de conexão à internet por meio de tecnologia de quarta geração – 4G ou superior”. A obrigação será atendida “por meio da implantação de uma estação rádio base em cada localidade indicada”. A controvérsia está em obrigar a implantação de uma infraestrutura reversível, visto que sob a concessão, na prática constituída por uma ERB do serviço móvel.

O decreto do novo PGMU prevê que essa nova obrigação será custeada pela redução no número de telefones públicos. Com o fim dos critérios geográficos e populacionais, mas mantidos orelhões em locais de demanda e nos pontos ainda compulsórios, como escolas e postos de saúde, a projeção é de que dos cerca de 800 mil telefones públicos restarão pouco mais de 84 mil.

Em valores anteriormente estimados pela secretaria de telecomunicações do MCTIC, essa troca envolveria coisa de R$ 700 milhões. Um estudo recente da Anatel sugere que o valor pode ser mais próximo de R$ 1,1 bilhão. Mas independentemente disso restam, no mínimo, outros R$ 3 bilhões em obrigações reduzidas ou que deixaram de existir.

A demora na publicação do PGMU, esperada para 2016, tem relação direta ao período em que o tema ficou à espera da aprovação legislativa das mudanças na Lei Geral de Telecomunicações que atingem diretamente as concessões. Com o que era uma expectativa do fim iminente das concessões, o PGMU, filho direto desse contrato, ficou na gaveta. Mas o saldo também influenciou.


Internet Móvel 3G 4G
5G privado para o B2B faz Telefônica fazer teste com rede open source TIP

Apetite das teles pelo 5G empresarial fez operadora, dona da Vivo, aderir a um grupo de trabalho para desenvolver uma arquitetura mais flexível em relação às operações tradicionais. Nova infraestrutura vai incorporar o OpenRAN. Testes em laboratórios serão em Madrid. Os de campo vão acontecer em Málaga, mas a operadora não revela cronograma de datas.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Oi: fibra ótica é o chassi de suporte para Wi-Fi 6, Wi-Fi 6E e 5G

Para o VP da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, o Brasil tem desafios a vencer para a expansão do Wi-Fi 6, como ofertar mais segurança jurídica e regulatória para os investimentos. O câmbio – já que todos os aportes e equipamentos são atrelados ao dólar – desponta como um gargalo a ser enfrentado.

Pequenos provedores querem antecipar uso outdoor do Wi-Fi 6E

“Desenvolver toda a base de dados leva tempo. Mas há operações que já sabemos onde são usadas e onde evitar problemas. Então podemos começar a implementar desde já”, diz o presidente da Associação Neo, Alex Jucius. 

GSMA: há risco no uso do Wi-Fi 6E em ambiente outdoor

Entidade insiste na necessidade de destinar uma parte dos 1200 MHz do espectro de 6 GHz para a oferta de serviços licenciados. "Essa faixa é mais viável para atender a demanda de espectro de banda média", afirma o diretor para a América Latina na GSMA, Lucas Gallitto.

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi
Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço
Cambium Networks: é urgente a necessidade de atualização das redes para o Wi-Fi 6
IDC: Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E exigem evangelização por parte do ecossistema
Facebook: risco de interferência em 6 GHz não afeta a oferta do serviço
Brasil assume liderança e se torna hub do Wi-Fi 6E nas Américas
Veja mais matérias deste especial

Integração da Oi Móvel pela TIM começa pelas frequências e tem prazo de 12 meses

Estratégica para os planos da tele no Brasil nos próximos anos, a integração dos ativos da Oi Móvel começará 'nos dias subsequentes' à aprovação do negócio, afirmou o CEO Pietro Labriola.

Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

Compromissos de cobertura previstos superam os R$ 23 bilhões. Cálculos anda precisam passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União.  Anatel também prevê investimentos de mais de R$ 80 bilhões nos próximos 20 anos.

Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, revelou que vai alterar Decreto Presidencial para dar às teles a opção de gerenciar à rede tirarando a exclusividade até então concedida à Telebras.

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G