GOVERNO

Dataprev processou 33 bilhões de registros para aplicativo da Caixa

Ana Paula Lobo* ... 07/04/2020 ... Convergência Digital

A partir desta terça-feira, 7/04, de 15 milhões a 20 milhões de trabalhadores informais não inscritos em programas sociais podem baixar o aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial que permitirá o cadastramento para receberem a renda básica emergencial. O auxílio - de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras - será pago por pelo menos três meses para compensar a perda de renda decorrente da pandemia de coronavírus.

Deverão cadastrar-se trabalhadores autônomos não inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e que não pagam nenhuma contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Quem não sabe se está no CadÚnico pode conferir a situação ao digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no aplicativo.

Quem contribui para a Previdência como autônomo ou como microempreendedor individual (MEI) já teve o nome processado pela Caixa Econômica e está automaticamente apto a receber o benefício emergencial. O presidente da Dataprev, Gustavo Canuto, ao participar do lançamento do aplicativo, revelou que a estatal cruzou bases de dados de diferentes órgãos do governo, entre elas, previdência e trabalho.

"Foram processados 33 bilhões de registros e para isso foram mais de 14 horas de processamento nos servidores dos data centers da Dataprev", contou o presidente da estatal, Gustavo Canuto. De acordo com o governo, de 15 milhões a 20 milhões de pessoas precisam ser identificadas e o serão por conta do uso do aplicativo, uma vez que não estão em nenhuma base oficial do governo.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, lembrou que o aplicativo cria 30 milhões de contas digitais para atender quem é, hoje, desbancarizado. "A conta digital vai permitir o pagamento de contas para que se façam transferências digitais. Tudo de graça para que não precisem ir às lotéricas ou às agências da caixa para receber o dinheiro físico", revelou.

O governo fechou uma parceria com a Febraban para que quem tenha conta corrente em banco privado - e não na Caixa e no Banco do Brasil - receba o auxílio e esse dinheiro não seja usado para descontar, por exemplo, uma dívida do cheque especial. O acesso ao aplicativo Caixa/Auxílio Emergencial poderá ser feito sem desconto de franquia depois de um acerto com as operadoras de telecomunicações.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, anunciou ainda que a Abin e a Polícia Federal montaram uma força-tarefa para evitar as fraudes cibernéticas. "Diversos sites falsos já foram derrubados e muitos outros o serão. A Polícia Federal montou uma operação para caçar os fraudadores", disse. A Caixa também teve a sua segurança reforçada para evitar os ataques hackers. 

O governo adianta ainda que as pessoas que não estavam no Cadastro Único até 20/03, mas que têm direito ao auxílio, poderão se cadastrar também pelo aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial. A Caixa disponibilizou ainda a central 111 para tirar dúvidas sobre como fazer o cadastramento. Apenas no momento do seu lançamento, o aplicativo já tinha sido baixado por mais de 600 mil pessoas. O endereço do site web é: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio

*Com informações da Agência Brasil



Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

TSE manda Dataprev parar de usar dados da Justiça Eleitoral para avaliar auxílio emergencial

Pedido foi feito de forma oficial pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luiz Roberto Barroso. A alegação é que os BDs não informam o exercício de mandato eletivo.

Agência Espacial abre edital para lançamentos comerciais na base de Alcântara

AEB é responsável pelas tratativas iniciais com as empresas, nacionais ou estrangeiras, interessadas em utilizar a base brasileira para lançamento de veículos espaciais.

PL quer adiar venda do Serpro, Dataprev, Telebras e outras estatais

Proposta, que está em análise na Câmara dos Deputados, ressalta que o 'períodos de crise são um excelente momento para quem compra e péssimo para quem vende'. Privatizações estão agendadas para junho de 2021. Ideia é adiar as vendas para 12 meses após o fim da pandemia de Covid-19.

STF derruba MP que mandava teles repassarem dados de clientes ao IBGE

Prevaleceu o entendimento da relatora, Rosa Weber, de que a ordem de recolher nome, endereço e telefone de todos os clientes de telefonia fixa e móvel configura medida excessiva, sem finalidade delimitada ou garantias suficientes. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G