Clicky

Home - Convergência Digital

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 19/11/2020

Ondas milimétricas - que no Brasil envolve, inicialmente, a faixa de 26 GHz no leilão previsto do 5G para 2021 - não são apenas mais uma banda, mas, sim, onde os novos serviços vão, de fato, acontecer, por conta das baixíssimas latências, afirmou o VP da Qualcomm Brasil, Francisco Soares, ao participar do evento e-Fórum 5G mmWave, realizado pela Network Eventos, com o Convergência Digital.

Posição defendida também pelo CSO da Nokia Brasil, Wilson Cardoso. "O 3,5GHz será mais do mesmo, para fazer banda larga. O que vai mudar o modelo de negócios é o uso das ondas milimétricas. São elas que darão ganho de produtividade esperado com o 5G", observou. "Quem garante que os dados transmitidos vão chegar e na latência desejada serão as ondas milimétricas. Elas têm de ser definidas agora", adicionou Soares, da Qualcomm.

O executivo da Nokia Brasil lembrou que, até 2025, são esperadas a instalação de pelo menos 230 mil novas ERBs apenas para atender mercados verticais, como o da indústria 4.0 e saúde, exemplificou. "São ERBs menores, instaladas internamente, mas que exigem espectro e baixa latência", reforçou Cardoso.

Soares, da Qualcomm, salientou que as aplicações de robótica, Inteligência Artificial e manutenção preditiva vão exigir o uso das ondas milimétricas. "Tem que comprar agora. Não dá para adiar para depois", insistiu. No edital do leilão 5G - a ser discutido ainda no Conselho Diretor da Anatel - está prevista a venda da faixa de 26 GHz junto com a faixa de 3,5GHz. Assistam à posição dos executivos no e-Fórum 5G mmWave.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

15/01/2021
Teles querem deixar migração das parabólicas para depois do leilão 5G

11/01/2021
Consumidor abre mão de acesso 5G por bateria com mais duração

05/01/2021
Brasileiro será CEO global da Qualcomm a partir de junho

18/12/2020
Abinee: Diferença de custo entre migração e mitigação no 5G é menor do que apontam teles

16/12/2020
Capdeville, CTIO da TIM: "Usamos equipamentos chineses há vinte anos e não há nada que desabone a rede brasileira"

16/12/2020
TIM: dizer que 5G DSS não é o 5G é obrigatório para não queimar a tecnologia

15/12/2020
Ceitec, no RS, tem estrutura para produzir chips 5G

11/12/2020
Algar Telecom testa OpenRAN em centro de 5G criado pela IBM, Flex e FIT

09/12/2020
Ericsson: Governos estão limitando e colocando o 5G em risco

08/12/2020
Fabio Faria reúne teles e diz que Bolsonaro e Minicom decidem sobre 5G

Destaques
Destaques

Uso da faixa de 700 MHz deixa 4G disponível 80% do tempo no Brasil

Segundo a mais recente análise da OpenSignal, TIM tem a rede de quarta geração com maior disponibilidade, 88,2%, à frente da Claro (79%) e Vivo (79,5%), Oi (70,2%). 

Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026

Nova edição do Relatório de Mobilidade da Ericsson aponta que até o final de 2020, mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo já estará usando 5G. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Edição de genes: como o 'reparo' do DNA pelo CRISPR impulsionará a Agricultura

Por Eduardo Prado*

Técnica permite o 'reparo' do DNA com altíssima precisão, o que permite, por exemplo, consertar 'mutações defeituosas' do DNA. A aparecimento da técnica deu um grande alento para o tratamento de doenças genéticas complexas. Estima-se que 6.000 doenças genéticas são causadas por mutações defeituosas, e apenas 5% delas pode ser tratada atualmente (sic!) ..


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site