Clicky

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/02/2021 ... Convergência Digital

O Ministério das Comunicações parece ter colocado uma pá-de-cal nas pretensões de quem defende uma versão incompleta do 5G para o Brasil. Em relato sobre a viagem à Europa e Ásia para encontrar fabricantes, o ministro Fabio Faria destacou que, para a pasta, a exigência deve ser o 5G standalone, conforme o release 16 do 3GPP. Ou, como disse, o 5G de verdade, não um 4G plus. 

“A nossa ideia é realmente implementar o 5G standalone, que é o 5G de verdade, para que a gente possa acolher toda a tecnologia que pode nos dar para desenvolver o nosso país. O 5G non-standalone é como se fosse um 4G plus. Essa nova ferramenta que vai trazer novas empresas, novas tecnologias, novas profissões e vai ajudar muito as empresas a fornecer a internet das coisas”,  destacou o ministro em nota divulgada nesta sexta-feira, 12/02, pela pasta.

A proposta de edital apresentada pelo relator no Conselho Diretor da Anatel, Carlos Baigorri, prevê que os compromissos de cobertura associados à venda de frequências devem se dar com base no release 16 do 3GPP, o grupo global de empresas para a padronização das tecnologias móveis. Essa posição já tem apoio de outros dois conselheiros, Moisés Moreira e Vicente Aquino, mas uma decisão foi adiada por pedido de vista do presidente da agência, Leonardo Morais, que indicou um voto divergente, sem tal obrigação. 

Desde que o voto do relator foi apresentado, em 1º de fevereiro, o próprio mercado demonstrou divergências sobre esse ponto, com Vivo e Claro trabalhando para derrubar a exigência do 5G pleno, enquanto TIM, pequenos prestadores e operadoras regionais alinharam-se à proposta de Baigorri. Agora, o governo esclarece que também prefere esse caminho. 


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Por casa conectada, Vivo negocia opção de ser acionista minoritária na CDF

A CDF é um marketplace de solulções de assistência residencial e tecnológica e que já é parceira na oferta do Vivo Guru. Os novos serviços serão lançados em breve, mas um deles será voltado para a instalação e  configuração de dispositivos inteligentes.

Huawei: é cedo para dizer quem está dentro ou fora da rede privada do governo

“Existe uma portaria, mas os requisitos ainda não estão completamente claros”, afirma o diretor de cibersegurança da fabricante chinesa, Marcelo Motta.

Oi entra na briga pela fibra ótica em São Paulo

Companhia diz que os pilotos comercial e de rede estão acontecendo e o lançamento ao mercado será no segundo trimestre (abril a junho) para os mercados B2C e B2B. A Oi vai usar 5,2 mil Km de rede própria oriundas da compra da MetroRed e da Pegasus no passado.

Brasileiro retorna ao pré-pago e sonha com superaplicativo

O brasileiro diz que o pré-pago oferece maior flexibilidade de uso, de acordo com pesquisa global feita pela Ding. O estudo também mostra que os brasileiros querem um superaplicativo que combine mensagens instantâneas com mídia social, varejo e serviços.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G