Home - Convergência Digital

AGU defende MP que proíbe desconto sindical na folha de pagamento

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 07/05/2019

A Advocacia-Geral da União apresento no Supremo Tribunal Federal sete pareceres para defender a Medida Provisória 873/19, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho e revoga o direito dos servidores públicos de terem descontada a contribuição sindical diretamente nas folhas de pagamento.

Os pareceres assinados pelo advogado-geral da União André Mendonça apontam que a Constituição Federal faz referência a apenas duas modalidades de contribuições para o sistema sindical de maneira que a MP não estaria ofendendo a CF.

“Uma vez que este dispositivo determina o recolhimento em folha apenas para a contribuição confederativa, estando o legislador ordinário livre para dispor sobre a contribuição sindical, inclusive para a revogação do seu desconto em folha de servidores públicos federais, regidos pela Lei n° 8.112/1990”, avalia a AGU.

Em outro ponto, a AGU afirma que, como o método de recolhimento das mensalidades e contribuições sindicais é tema infraconstitucional, a possibilidade de desconto em folha dessas verbas não é alcançada pelo âmbito de proteção dos princípios da liberdade de associação e da autonomia sindical.

“A autorização para a cobrança das contribuições devidas aos sindicatos seja prévia, expressa, individual e voluntária não ofende o artigo 8º da CF/1988, o qual concede aos sindicatos a atribuição de defender os direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria”, aponta.

Entre os argumentos dos sete pareceres, a AGU sustenta que a MP 873/2019 dá mais independência às entidades sindicais e associativas, uma vez que permite operacionalizar o custeio de suas atividades por meio de instrumentos próprios, e não de terceiros.

* Com informações do Conjur

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/06/2019
Corte de imposto para produtos acabados extermina parque industrial de Tecnologia

04/06/2019
STF aprova repercussão geral da cobrança de ICMS em celulares sob comodato

09/05/2019
Para STF, restrições e proibições a apps de transporte são inconstitucionais

08/05/2019
Pontes: Cortes são críticos e pesquisa só tem recursos até setembro

07/05/2019
AGU defende MP que proíbe desconto sindical na folha de pagamento

03/05/2019
Decisão do STF faz PGR defender o fim de ação contra Telebras/Viasat

12/04/2019
CGI.br, Anatel e MCTIC escapam do Decreto que extingue colegiados

12/04/2019
STF confirma lei que proíbe teles cobrarem multa de desempregados

11/04/2019
Mudanças no eSocial reforçam liderança da Receita Federal

11/04/2019
Sindicato vai à OIT contra MP que tira desconto de contribuição em folha

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Falta de mão de obra qualificada espanta investidores no Brasil

Mais de 50% dos jovens brasileiros podem ficar fora do mercado de trabalho por falta de qualificação e de habilidades digitais. A advertência foi feita por especialistas que debateram sobre educação e capacitação digital no Painel Telebrasil 2019.

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Raio-X do mercado de trabalho nos últimos 10 anos, feito pela Softex, mostra que o salário médio de R$ 6 mil.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site