12/03/2021 às 08:45
Negócios


IPO e consolidação estão na agenda diária da Plusoft
Ana Paula Lobo e Pedro Costa

Ao completar 33 anos, a Plusoft, empresa brasileira especializada em soluções Omnichannel de Customer Relationship Management (CRM) para todos os mercados (seguros, alimentação, telecomunicações, financeiro, entre outros), resolveu reformular sua identidade e criar frentes de atuação para revigorar os negócios. Se autodenominando uma companhia de human experience (HX), a Plusoft renovou a marca e estabeleceu novos mercados para atuação, entre eles, o Open Banking.

"O serviço financeiro, em especial, os bancos são um desafio para nós, porque eles querem ser donos da tecnologia e a Plusoft, em 2016, apostou na venda de software como serviço. Mas temos as fintechs e novos players interessados na bancarização imensa que aconteceu por conta da digitalização dos serviços, uma exigência da Covid-19. Vamos apostar muito nesse segmento que não se importa em ter tecnologia proprietária, mas, sim serviço eficiente", contou o CEO da companhia, Solemar Andrade, em entrevista ao Convergência Digital.

A transformação da empresa acontece em um momento de crescimento dos negócios. Em 2020, a Plusoft saltou 18,18%. Para 2021, a expectativa de expansão é de 22%, enquanto o mercado de TIC, segundo prevê a consultoria IDC, deverá saltar 7,1% no Brasil. Nos últimos anos, a Plusoft fortaleceu seu portfólio de produtos ao seu já conhecido CRM, o Omni, com a compra das empresas iCustomer, iPaaS, Virtual Interactions e Edusense. Com o rebranding, os produtos ganharam outra roupagem e as empresas foram totalmente integradas.

Andrade explicou o que é ser uma empresa autodenominada 'human experience'. “É conhecer de verdade as pessoas. Entender sua maneira de pensar, sua personalidade, seus gostos. É criar experiências verdadeiras e valorosas com os nossos clientes nos curto e longo prazos. Nela, os clientes passam a ser vistos como pessoas, transações como relações e ferramentas como experiências."

Indagado pelo Convergência Digital se há interesse da Plusoft de fazer um IPO - uma vez que o CEO da empresa admite que tecnologia está em alta porque vende o futuro - Andrade foi taxativo: "IPO e consolidação está na minha agenda diária. Não significa que vai acontecer amanhã. Mas não há um CEO que não pense nisso para fazer novos negócios". Assistam a entrevista com o CEO da Plusoft, Solemar Andrade.


Powered by Publique!