Clicky

Convergência Digital - Home

Vivo contrata OpenStack, da Canonical, para levar cobrança online para a nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital* - 13/01/2021

A Vivo, por meio da Telefonica, escolheu uma tecnologia aberta para levar sistema de cobrança online para a nuvem privada. A companhia fechou a contrtação da solução Charmed OpenStack, da Canonical, empresa por trás do Ubuntu. Os valores envolvidos não foram revelados pelas partes.

O projeto, batizado de Unica Next, prevê a construção de oito nuvens privadas, distribuídas geograficamente para atender aos clientes da operadora no país. A fase inicial do projeto foi lançada no início de agosto de 2020. De acordo com as empresas, o projeto é o primeiro de uma operadora na América Latina.

Com 76 milhões de assinantes móveis, a Telefonica/Vivo é a maior operadora móvel do Brasil e usa o sistema de cobrança online para oferecer a clientes B2C e B2B visibilidade e controle em tempo real de seu consumo de dados e de minutos de chamada de voz. Ao invés de selecionar um ambiente virtualizado convencional, a Telefonica optou pelo Charmed OpenStack visando escalabilidade futura, o que permite um planejamento de longo prazo.

“A migração do aplicativo OCS para a nuvem nos dará a estrutura e a agilidade que precisamos para oferecer as melhores soluções para nossos clientes de maneira consistente”, comentou o chefe de plataformas pré-pagas e OCS da Telefonica Brasil, Flavio Matiello. “A seleção da Charmed Open Stack foi uma escolha natural para nos permitir escalar nossos recursos de cobrança dentro de uma plataforma de nuvem privada que está preparada para o futuro”, completa. Como o OCS requer grande proximidade com a rede, as nuvens serão distribuídas geograficamente pelo Brasil. Essa arquitetura fornece a baixa latência necessária para atender às necessidades da ampla base de clientes da Telefonica e foi um fator-chave na seleção de uma infraestrutura de nuvem privada.

Além de ser construída na Charmed OpenStack, a nuvem OCS da Telefonica utilizará as ferramentas de código aberto da Canonical para automatizar a implantação e as operações de sua infraestrutura. A empresa se beneficiará também da oferta Managed OpenStack, que oferece manutenção e suportes contínuos. “Há uma tendência crescente de adoção da OpenStack por empresas de telecomunicações e estamos entusiasmados para ver quais outros serviços baseados em nuvem o setor conseguirá oferecer com base na ferramenta”, afirma o VP de Engenharia de Campo da Canonical, Nicholas Dimotakis.
 



 



 


Destaques
Destaques

Multinuvem do Serpro vai concorrer com a do Ministério da Economia

Estruturada a parceria com AWS, Huawei e Azure, da Microsoft, estatal passa a disputar contratos com órgãos públicos, em briga direta com nuvem licitada e gerida pela Secretaria de Governo Digital.

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site