Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis

Ana Paula Lobo ... 29/03/2019 ... Convergência Digital

Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis da franquia contratada junto a operadora, o que significa perder dinheiro ao final do mês, informa o analista Sênior do Ericsson Consumer & Industry Lab, André Gualda. Em entrevista ao portal Convergência Digital, o especialista revela que, por ano, o usuário médio brasileiro deixa de usar 14,4 gigabytes de dados contratados.

"Isso significa usar streaming de música por 245 horas; ou assistir três temporadas de Games of Thrones, entre outras situações. É muito dado jogado fora. O momento é o de repensar e passar usar o gigabyte como moeda em uma relação transparente com a operadora. As pessoas contratam dados ilimitados para ter paz de espírito e não correr risco de ficar sem Internet. O jogo não pode ser esse. O usuário tem de pagar pelo que consome e o preço justo",ressalta Gualda.

Pesquisa recente feita pelo ConsumerLab da Ericsson com 14 mil usuários, entre eles consumidores do Brasil, mostra que os usuários consideram os serviços das operadoras complexos e complicados de entender. No Brasil, observa Gualda, dois em cada três usuários de smartphones entrevistados disseram não entender o plano de dados contratado tampouco como acontece a contabilidade do consumo de dados.

"Os consumidores querem um modelo mais intuitivo, mais simples. O 5G está chegando e é a grande oportunidade de as operadoras darem a virada necessária para recuperarem o engajamento com os seus consumidores", destaca Gualda. O estudo da Ericsson mostra ainda que segue a percepção do consumidor que celular é caro e o Wi-Fi é de graça.

"No Brasil, mesmo com plano ilimitado de dados da operadora móvel, o consumo de Wi-Fi não muda. Um usuário brasileiro médio gasta cerca de 5 gigabytes ne rede celular e usa 25 gigabytes em rede Wi-Fi, abordagem bastante semelhante à de vários países no mundo", salienta Gualda.

Neste momento, o ConsumerLab está desenvolvendo a maior pesquisa sobre 5G do mundo- estão sendo ouvidos24 países, entre eles o Brasil, para entender os diferentes modelos de negócios possíveis para a nova tecnologia. O estudo deverá ser divulgado mundialmente no final de abril.

Em maio, antecipa Gualda, será divulgada uma análise exclusiva do cenário para o Brasil. "O 5G chegou para mudar tudo. É a chance de a operadora retomar a relevância junto ao seu usuário. Hoje todo mundo é relevante, fabricante de smartphone, OTTs, e as operadoras não são citadas e são elas que constroem a infraestrutura. São elas que viabilizam os serviços", completa o analista da Ericsson.


Internet Móvel 3G 4G
Justiça dos EUA dá vitória à FCC para implantação ágil de small cells para 5G

Cidades norte-americanas contestavam a interferência da agência reguladora norte-americana por exigir agilidade na concessão de licenças para adoção de small cells para o aumento da cobertura 5G.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G