INTERNET

Google derrota governo da França na disputa pelo 'direito a ser esquecido'

Convergência Digital* ... 24/09/2019 ... Convergência Digital

O Google venceu sua luta contra regras mais duras em relação ao ‘direito a ser esquecido’, depois que o principal tribunal de Justiça Europeu (TJUE) decidiu que a empresa não precisa remover links para dados pessoais sensíveis em todo o mundo, rejeitando uma demanda francesa. O caso é visto como um teste para determinar se a Europa pode estender suas leis além de suas fronteiras e se os indivíduos podem exigir a remoção de dados pessoais dos resultados de pesquisa na internet sem sufocar a liberdade de expressão e o interesse público legítimo.

“Atualmente, não há nenhuma obrigação, de acordo com a legislação da UE, que um operador de mecanismo de busca que conceda um pedido de remoção de referência feito por um titular de dados ... realize essa remoção de referência em todas as versões de seu mecanismo de pesquisa”, enfatizou a sentença do Tribunal de Justiça europeu (TJUE). “No entanto, a legislação da UE exige que um operador de mecanismo de busca faça essa desreferência nas versões de seu mecanismo de pesquisa correspondentes a todos os Estados Membros da UE”, acrescentou.

O caso surgiu depois que o órgão de controle de privacidade da França, CNIL, multou o Google em 100.000 euros em 2016 porque a empresa se recusou a excluir informações confidenciais dos resultados de pesquisa na internet globalmente, mediante solicitação, no que é chamado de ‘direito a ser esquecido’.

O conselho também solicitou aconselhamento depois que a CNIL decidiu não solicitar ao Google a remoção de links dos resultados de pesquisa na internet com base nos nomes de quatro pessoas. Tais links incluíam uma fotomontagem satírica de uma política feminina, um artigo referente a alguém como oficial de relações públicas da Igreja da Cientologia, a colocação sob investigação de um político masculino e a condenação de alguém por agressão sexual contra menores. “Desde 2014, trabalhamos duro para implementar o direito de ser esquecido na Europa e encontrar um equilíbrio sensato entre os direitos das pessoas de acesso à informação e privacidade. É bom ver que o tribunal concordou com nossos argumentos ...”, disse o Google em comunicado após a decisão.

Fontee: Agência Reuters


ABES remove mais de 66 mil conteúdos ilegais em nove meses de 2019

Somente durante o terceiro trimestre, foram derrubados cerca de 20,7 mil links, websites e anúncios ilegais, um incremento de 4% se comparado o periodo de janeiro a setembro de 2018.

VINCI Partners: 'jeitinho' não tem vez na atração de investimento

"Ser empresário no Brasil é um ato de heroísmo e é preciso, as vezes, traçar atalhos para crescer, mas é necessário entender a hora de deixar de ser herói e colocar a bola no chão, mesmo que isso provoque um freio no crescimento", orienta o gerente de capital privado, Gabriel Felzenszwalb.

Horizons Telecom vai às compras para ser nacional

Mas a estratégia é não perder a origem do negócio: fidelizar o cliente pelo atendimento, diz o diretor da operadora, Ricardo Montanher. "Nosso cliente não fala com URA", afirmou.

Vero Internet vai às compras para ir além de Minas Gerais

Empresa, que surgiu da fusão de oito empresas mineiras, quer avançar nas regiões Sul, Centro-Oeste e Nordeste, revela o CEO da companhia, Fabiano Ferreira. Companhia também avalia entrar no negócio 5G.

Airbnb é condenada por informação errada fornecida pela plataforma no Brasil

Aplicativos de hospedagem têm responsabilidade caso o anfitrião forneça informação diversa da apresentada ao usuário do serviço. Assim entendeu a juíza Marília de Ávila e Silva Sampaio, do 6º Juizado Especial Cível de Brasília.

Revista Abranet 28 . ago/set/out 2019
Veja a Revista Abranet nº 28 O 802.11ax - ou Wi-Fi 6 - promete melhor desempenho por dispositivo, cobertura estendida, maior duração de bateria no devices conectados por ele e protocolos de segurança. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G