INTERNET

Sete em cada 10 brasileiros desconhecem ou conhecem muito pouco a Lei de Dados Pessoais

Convergência Digital ... 03/06/2019 ... Convergência Digital

Setenta e cinco por cento dos brasileiros desconhecem ou conhecem muito pouco sobre a Lei de Proteção de Dados  – marco jurídico-regulatório que entrará em vigor no país em agosto de 2020 e que passará a estabelecer princípios, direitos e deveres a serem considerados no tratamento de dados pessoais de consumidores e usuários de serviços, conforme pesquisa feita pela Serasa Experian.

O indicador nacional segue na contramão do apurado na pesquisa conduzida pela Experian, no Reino Unido no ano passado, que revelou que seis em cada 10 pessoas afirmaram estar totalmente ou parcialmente cientes sobre a General Data Protection Regulation (GDPR), legislação similar adotada pela União Europeia desde maio de 2018.

Além da baixa percepção em relação à Lei, a maior parte dos entrevistados (62%) declara nunca ter tido problemas com o vazamento de seus dados pessoais e 13% apontaram problemas com dados indevidamente expostos, por conta de sites hackeados ou quando foram vítimas de fraude. Entre os participantes da pesquisa britânica, os percentuais correspondentes ficaram em 49,6% e em 7,4%, respectivamente.

“É fundamental que as empresas concentrem esforços para assegurar a proteção e a qualidade dos dados de seus consumidores. Isso também envolve a missão de contribuir para ampliar o conhecimento do cliente sobre o embasamento legal que a Lei vai agregar a essa gestão e como esse tipo de informação pode ser aplicado em prol da evolução do relacionamento e do atendimento”, afirma o presidente da Serasa Experian, José Luiz Rossi.

Embora não se sintam seguros no mundo digital, os brasileiros afirmaram que acabam fornecendo informações – o que ocorre com mais frequência no preenchimento de cadastros em sites ou durante operações de compras online. No contato com lojas físicas, a sensação de segurança é maior quando há a necessidade de compartilhar dados.

Ainda segundo o levantamento da Serasa Experian, a faixa etária é o fator que mais influencia a predisposição do consumidor em disponibilizar ou não suas informações. Quanto maior a idade (50 anos ou mais), maior é o cuidado com a internet. Já os brasileiros mais jovens (18 a 29 anos) ouvidos demonstraram ser menos cautelosos tanto nas interações digitais quanto presenciais:

Entre os aspectos elencados pela pesquisa da Serasa Experian como os mais avaliados pelos consumidores na hora de compartilhar seus dados pessoais, a confiabilidade de sites ou marcas obteve o maior total de menções dos brasileiros (63%) como o principal respaldo a essa decisão. Para os participantes que responderam ao levantamento da Experian no Reino Unido, esse mesmo referencial predominou com 57,5% das respostas.

Para seis em cada 10 dos entrevistados no Brasil (59%), a popularidade e o vínculo prévio com as marcas são atributos avaliados como mais relevantes do que as indicações feitas por amigos e familiares, para orientar a intenção de abrir informações pessoais para empresas. O indicador nacional é o dobro da média apurada pelo levantamento entre os britânicos (30%).

A pesquisa realizada pela Serasa Experian entrevistou 1.564 consumidores de todo o Brasil no mês de março de 2019. A metodologia aplicou, por meio de painel online nacional, um questionário com perguntas fechadas a um público composto por 53% de mulheres e 47% de homens, nas regiões Sudeste, Nordeste, Sul e Centro-Oeste/Norte. A segmentação dos participantes por idade contemplou as faixas etárias e distribuição por renda.

*Com informações da Assessoria da Serasa Experian

 


Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

TJSP começa com grupo Itaú projeto de citação eletrônica de pessoas jurídicas

Segundo oTribunal, informações técnicas para a participação foram enviadas a diversas instituições, mas por enquanto  somente o grupo financeiro respondeu. 

Facebook anuncia exclusão de mais de 50 milhões de postagens falsas

Trabalho de filtragem de conteúdo é  feito por algoritmos de inteligência artificial que identificam conteúdos abusivos com expressões de discurso de ódio, nudez adulta e atividades sexuais, violência e conteúdo explícito, bullying e assédio.

MPF: Expor em redes sociais quem descumpre isolamento é obrigação

Em nota técnica, Procuradoria dos Direitos do Cidadão defende ato de denunciar ou expor pessoas que promovem festas, reuniões ou outras atividades temporariamente proibidas.

MPF pede ao Google para tirar do ar vídeo de pastor vendendo feijão como cura da Covid-19

Valdemiro Santiago de Oliveira, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, vende por R$ 100 a até R$ 1 mil, sementes de feijão "mágico". 

CGI.br quer uso dos fundos de Telecom para garantir Internet na pandemia

Entidade recomenda a Executivo e Legislativo o uso de fundos setoriais para subsidiar a conectividade dos mais pobres, além de ampliação de infraestrutura e ações que facilitem a instalação de antenas de celular. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G