Clicky

Rede segura do governo vai usar faixa do 4G e bane Huawei como fornecedor

Luís Osvaldo Grossmann ... 26/02/2021 ... Convergência Digital

Na guerra comercial entre Estados Unidos e China, o Brasil buscou um caminho do meio. Como reforçado pelo ministro das Comunicações Fabio Faria nesta sexta, 26/2, a decisão foi não intervir nas decisões das operadoras brasileiras sobre a rede comercial do 5G. Mas o governo vai adotar uma rede “segura” de comunicações, na qual só podem ser usados equipamentos de empresas com ações na Bolsa de Valores do Brasil. 

“Na rede privativa temos exigência de acordo com o mercado acionário brasileiro. Isso já está precificado. Alguns países usam a mesma coisa. Temos que preservar nossas informações sensíveis e tirar a ideia que estão espionando o governo brasileiro. Então a gente resolveu limpar toda a comunicação segura”, afirmou Faria ao participar de coletiva de imprensa sobre o edital do 5G, recém aprovado pela Anatel. 

No entendimento do Ministério das Comunicações, a restrição está na Portaria 1.924, quando prevê que devem ser “utilizados equipamentos projetados, desenvolvidos, fabricados ou fornecidos por empresas que observem padrões de governança corporativa compatíveis com os exigidos no mercado acionário brasileiro. Significa que fabricantes de equipamentos ações com ações no Brasil, como é o caso da Ericsson e da Nokia, estão no jogo. A Huawei, não. 

Já na rede comercial, não há restrições. As operadoras usarão os equipamentos que quiserem. "O resto a gente tem que deixar para o livre mercado. O governo Bolsonaro é um governo liberal que deixa o próprio mercado se resolver. Não seria justo, vendo o lado liberal, que a gente pudesse fazer uma interferência em todo o país", completou o ministro das Comunicações. 

O Minicom informou à Anatel que o leilão do 5G deve prever até R$ 1 bilhão para construção dessa rede privativa. Mas no que diz respeito à parte da rede móvel incluída no projeto, serão usados os 5+5 MHz na faixa de 700 MHz que já foram destinados, ainda no leilão do 4G, para aplicações de segurança pública. 

De acordo com o conselheiro da Anatel Carlos Baigorri, relator da versão final do edital do 5G, além da rede móvel a ser instalada na capital federal, o projeto inclui uma rede fixa nacional. “Como é com a faixa de 700 MHz, imagino que vai ser uma rede 4G privativa de governo. E depois tem a rede fixa que vai interconectar entre 6 mil ou 8 mil estações, órgãos, prédios da administração pública para criar uma rede privativa, uma grande intranet do governo federal. E teria camada de aplicações de criptografia sobre essas redes”, explicou.


Internet Móvel 3G 4G
Um em cada cinco usuários do 5G reduz o uso do Wi-Fi nos ambientes fechados

Relatório da Ericsson ConsumerLab mostra que a cobertura interna é duas vezes mais importante do que a velocidade ou a duração da bateria. Usuários também se mostram insatisfeitos com a ausência de serviços inovadores e novos aplicativos.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Chamadas de fixo para móvel terão reajuste de até 10,3%

Percentuais autorizados pela Anatel variam de acordo com cada operadora. Os menores foram para a Algar (3,1%), e os maiores para a Oi. 

TIM: Oi móvel é uma operação de venda para resolver um problema do setor

O vice-presidente da TIM, Mario Girasole, diz que os questionamentos fazem parte do rito. "Nós estamos resolvendo um problema de uma empresa que viveu uma situação muito crítica".

Gigantes se unem pelo OpenWiFi para contrapor o Open RAN

Quem está à frente da iniciativa é o Telecom Infra Project (TIP), também responsável pelo Open RAN para as teles celulares. O projeto OpenWifi surge com o apoio da Deutsche Telekom, Boingo e do Facebook. Lançamento oficial será no dia 12 de maio.

STF derruba lei municipal que impedia antena de celular a 100 metros de residências

Sob a justificativa de impedir exposição a campos eletromagnéticos, Lei de Valinhos (SP), de 2018, proibia infraestrutura de telecomunicações próximas a casas, parques, jardins e áreas de preservação. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G