Convergência Digital - Home

Unisys: pouco mais de 20% das empresas brasileiras são multicloud

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 26/11/2019

A Multicloud é o futuro, mas apenas 24% das companhias brasileiras usam de fato vários fornecedores na nuvem, observou a primeira edição do Barômetro de Sucesso na Nuvem, produzido pela Unisys, e divulgado nesta terça-feira, 26/11, em São Paulo. A pesquisa mostra que nove em 10 empresários brasileiros já perceberam os benefícios do uso das nuvem, número bem acima do registrado mundialmente- 66%. O levantamento da Unisys entrevistou 1.000 líderes seniores de TI e de negócios em 13 países, incluindo o Brasil.

Um dos pontos mais críticos para o  uso da nuvem - a segurança - segue sendo um ponto ainda a ser discutido, mas há se desfaz o mito que a nuvem não é segura, ela requer cuidados como qualquer outra tecnologia, afirma Guilherme Artuso, diretor de cloud computing da Unisys para a América Latina. Do ponto de vista de mercado, a Unisys se posiciona como um orquestrador no negócio de cloud, ou seja, como um integrador de soluções. "Há ainda muita aplicação legada que não vai para a nuvem. E gerir esse recurso legado com o que está na nuvem exige uma orquestração, que nós Unisys, nos preparamos para fazer", adicionou Artuso.

O presidente da Unisys para a América Latina, Eduardo Almeida, assumiu que há três verticais centrais de atuação da Unisys: governo, finanças e varejo. "Governo e varejo precisam muito fazer a jornada efetiva para a nuvem. Temos um grande mercado para conquistar, até pelo resultado da adesão ao multicloud", pontua.

O Barômetro de Sucesso na Nuvem aponta ainda que:

• Quase a totalidade (95%) das empresas brasileiras que adotaram a nuvem como parte central da estratégia de negócios viu grandes ou moderados avanços trazidos pela migração;

• Apenas um terço (33%) dos líderes que adotaram a nuvem como parte menor da estratégia de transformação dos negócios teve expectativas excedidas ou atingidas em grande parte com o processo de transformação digital em cloud;

• Entre todos os entrevistados, 56% dos líderes de negócio da América Latina relataram estar extremamente ou muito preocupados em serem superados pelos concorrentes.

• No ranking global, que avalia a evolução das organizações na jornada para a nuvem em uma escala de 0 a 100, o Brasil atingiu 66 pontos - a pontuação mais alta ente todos os países avaliados - 17 acima da média mundial (49 pontos) e 10 a mais em relação à média da América Latina (56 pontos).

Apesar de quase todos os entrevistados (95%) afirmarem ter migrado para a nuvem em algum nível, o uso da multicloud ainda é baixo (24%) - valor alinhado com os resultados mundiais. No entanto, os usuários de multicloud disseram que veem a nuvem como elemento essencial para manter a competitividade:

• Três em cada quatro (76%) afirmaram que, se não migrassem para a nuvem, estariam um pouco ou extremamente preocupados com o fato de um concorrente sair na frente em inovação;

• 48% estariam preocupados em ser superados por um concorrente;

• Um terço (33%) estaria preocupado em se ver até forçado a abandonar os negócios por não inovar.

Para conhecer outros resultados, ter mais informações sobre o Barômetro de Sucesso na Nuvem™ da Unisys 2019 e fazer o download do relatório, visite http://www.unisys.com/cloudbarometer.


Destaques
Destaques

IDC: mercado de nuvem pública vai chegar a R$ 15 bilhões em 2020

Mercado de TI brasileiro vai crescer 5,8% impulsioando pelos negócios de clóud computing e pela aceleração do mercado de software. Nuvem privada tem a preferência das grandes empresas e fica com até 25% do orçamento destinado à TI.

BRK Ambiental, CTG Brasil e Via Varejo aderem à nuvem na jornada digital

Empresas implementaram a plataforma SAP S/4HANA para sustentar a estrastégia digital. Os negócios de cloud tiveram forte impacto na receita da SAP Brasil.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desafios às empresas: Contêineres, Orquestração e Microsserviços

Por Lenildo Morais*

Com o padrão “multi-edge edge computing”, o tráfego e os serviços de TI mudam de uma nuvem centralizada para micro-nuvens espalhadas o mais próximo possível dos usuários. As operadoras terão que oferecer serviços sob demanda, e mesmo em tempo real, para atender a todos os tipos de aplicativos.

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site