Convergência Digital - Home

CADE impõe multa de R$ 57 milhões à IBM e Red Hat

Convergência Digital
Convergência Digital* - 11/12/2019

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) homologou, nesta quarta-feira (11/12), Acordo em Procedimento Administrativo para Apuração de Ato de Concentração (APAC), com IBM e Red Hat devido à consumação da aquisição da Red Hat pela IBM antes da decisão final da autarquia – ação conhecida como gun jumping. As empresas pagarão R$ 57 milhões como contribuição pecuniária em decorrência da prática. IBM e Red Hat já obtiveram a aprovação para a transação, sem restrições, também do órgão antitruste brasileiro.

IBM e Red Hat notificaram a operação ao Cade em abril de 2019. A Superintendência-Geral da autarquia opinou pela aprovação sem restrições do ato de concentração em junho e, dias depois, o Tribunal avocou o caso para apreciação. Em julho, quando o processo ainda estava em apreciação no Conselho, as empresas comunicaram ao Cade o fechamento da operação.

Na análise do caso, a relatora do procedimento, conselheira Paula Azevedo ponderou que as requerentes fecharam globalmente o negócio e comunicaram formalmente a autarquia, ocasião em que, de boa-fé, deram ciência sobre a execução de uma estrutura de hold separate, no Brasil, para impedir a implementação da operação antes da decisão final do Cade. Porém, não obstante terem agido de boa-fé, o órgão antitruste concluiu que as empresas consumaram o ato de concentração de forma prematura.

Pelo ACC firmado, as empresas se comprometem a recolher uma contribuição pecuniária ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, devido à infração concorrencial. O acordo foi homologado por unanimidade pelo Plenário do Tribunal. A Lei 12.529/11 estabelece que fusões e aquisições de empresas devem ser obrigatoriamente notificadas ao Cade se pelo menos um dos grupos envolvidos na operação tenha registrado faturamento bruto anual ou volume de negócios total no Brasil, no ano anterior à operação, equivalente ou superior a R$ 750 milhões, e pelo menos um outro grupo envolvido na operação tenha registrado faturamento bruto anual ou volume de negócios total no Brasil, no ano anterior à operação, equivalente ou superior a R$ 75 milhões.

 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.

No Brasil, empresas 'confiam, desconfiando' das multiclouds

Estudo, feito pela F5 com vários países da América Latina, mostra que as organizações têm menos confiança na capacidade da nuvem pública resistir a um ataque hacker voltada às aplicações. Escolha da nuvem é feita aplicação por aplicação.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site