Clicky

GOVERNO

No governo federal, 55% dos órgãos indicaram encarregado de dados

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/01/2021 ... Convergência Digital

No Executivo Federal, 106 órgãos públicos, ou 55% do total, fizeram até aqui as nomeações de seus encarregados de dados, os pontos de contato entre os titulares dos dados, quem trata ou guarda as informações e ainda com a Autoridade Nacional de Proteção de Dados. 

É pouco segundo o cronograma da Secretaria de Governo Digital, que em 20 de novembro deu 30 dias para que todos os órgãos do SISP procedessem com as nomeações. Diz a SGD que “reforçamos recentemente a prioridade aos órgãos de indicação dos encarregados”. 

Depois de uma primeira norma que exigia um curso específico sobre proteção de dados da Escola de Governo, prevaleceu uma determinação mais genérica associada a uma vedação expressa, de que o encarregado “não deverá se encontrar lotado nas unidades de Tecnologia da Informação ou ser gestor responsável de sistemas de informação do órgão ou da entidade”.

No mais, a IN 117/20 diz que o encarregado de dados “deverá possuir conhecimentos multidisciplinares essenciais à sua atribuição, preferencialmente, os relativos aos temas de: privacidade e proteção de dados pessoais, análise jurídica, gestão de riscos, governança de dados e acesso à informação no setor público”. 


LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.

Estados e municípios vão ficar com US$ 1 bilhão do BID para digitalização

Ao Convergência Digital, o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, assegura: “Impacto na economia vai chegar a R$ 100 bilhões."

Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G