Home - Convergência Digital

Pandemia de Covid-19 promove uma corrida por programadores em Cobol

Convergência Digital* - 15/04/2020

A pandemia de coronavírus criou uma corrida por programadores de Cobol, linguagem computacional desenvolvida nos Estados Unidos em 1959 para a criação de sistemas financeiros, e por várias vezes condenada à extinção e que se prova sempre resiliente e forte com a existência dos mainframes. A IBM e a Fundação Linux estão convocando especialistas que tenham familiaridade com a linguagem para auxiliar na operação de sistemas antigos de computação nos Estados Unidos.

Governos que utilizam modelos fundados nas décadas de 1960 e 1970 precisam lidar com a nova demanda de processamento de dados durante a pandemia e tem dificuldade para encontrar profissionais que saibam programar nessa linguagem, que perdeu popularidade nos últimos 40 anos.

A busca por profissionais acontece em função de serviços como, por exemplo, o repasse de recursos a desempregados precisa ser feito por mainframes programadoss em Cobol. Passam por essa dificuldade governos de estados como Nova Jersey, Kansas e Connecticut, que precisam de voluntários. A Cobol foi uma das primeiras linguagens de programação de alto nível, criada no Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Como grande parte dos computadores produzidos nos anos 1960 eram destinados ao governo, a linguagem vinha de fábrica e se popularizou em diversos países.

Em seu site nos Estados Unidos, a IBM diz que clientes estão "enfrentando circunstâncias sem precedentes" durante a pandemia de Covid-19. "Alguns estados que precisam de habilidades adicionais de programação para fazer alterações em Cobol 15, linguagem com 220 bilhões de linhas de código em uso hoje. Essas alterações no código são necessárias para levar em conta os novos parâmetros de elegibilidade para pagamento de desemprego, em um prazo muito curto", diz a publicação.

Em parceria com a Fundação Linux, a companhia lançou três iniciativas para suprir a demanda temporária: um fórum que conecta programadores de Cobol a empregadores, um fórum técnico em que especialistas podem dar aconselhamento voluntário, e uma plataforma aberta de treinamento para a linguagem. Um relatório da Reuters, publicado em 2017, reportava que 43% dos sistemas bancários ainda eram construídos com Cobol. Além disso, a tradicional linguagem é usada em ao menos três agências governamentais americanas.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/01/2021
SENAC e empresas de TI se unem e formulam curso de programação Full-Stack

05/01/2021
Accenture e Gama Academy abrem 60 vagas para capacitação de programadores

24/11/2020
paySmart-Elo promovem maratona de desenvolvimento

04/11/2020
Fusão de startups nacionais cria maior comunidade de Devs da América Latina

02/10/2020
edTech nacional cria escola para formar programadores Web

21/09/2020
Julia, R e Scala: as linguagens de programação para ciência de dados

17/09/2020
Stefanini promove Maratona de Desenvolvimento 2020

11/09/2020
Procura por programador chegou a crescer 157% no Brasil por conta da Covid-19

25/08/2020
São Paulo tem 25 mil bolsas para formar programadores de games

24/08/2020
Escola de programação promove maratona de programação exclusiva para mulheres

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Na liderança, curiosidade insana e coragem impactam mais que a competência

Vice-presidente para setor público na AWS, Teresa Carlson, e Indra Nooyi, membro do board da Amazon e ex-CEO e chairman da PepsiCo, admitiram que a Covid-19 tem provocado crises existenciais em muitas pessoas e que, há, sim, um forte e um injusto desequilíbrio para as mulheres.

Média salarial de profissional de TI no Brasil ficou em R$ 4.849,00

Pesquisa nacional, realizada pela Assespro-Paraná e pela UFPR, mostra a desigualdade econômica do país. No Nordeste, em Sergipe, a média salarial é de apenas R$ 1.943.00. Em São Paulo, essa média sobe para R$ 6.061,00. Outro ponto preocupante: a diferença salarial entre homens e mulheres segue acima de dois dígitos.

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site