TIM: consolidação da Oi passa pelo equilíbrio de frequências com Claro e Vivo

Convergência Digital* ... 25/08/2020 ... Convergência Digital

Com uma proposta de R$ 16,5 bilhões pelos ativos móveis da Oi ao lado das concorrentes Claro e Vivo, a TIM acredita que uma eventual repartição da base de clientes e do espectro da adquirida precisa equilibrar a concentração atual de mercado – levando inclusive a "níveis de frequências parecidos" entre as três empresas. "Nos juntamos com dois operadores para avaliar oportunidade de comprar três assets diferentes e a repartição desses assets deve ser inspirada por um critério de máximo respeito com a concentração", afirmou o CEO da TIM, Pietro Labriola, durante live do canal Stock Pickers realizada nesta terça-feira, 25, conforme reportagem feita pelo portal Teletime.

"Se a frequência for dividida como estamos sugerindo, teremos três operadoras com níveis de frequências parecidos e uma competição mais saudável", afirmou o executivo. Hoje, a TIM é a terceira operadora em termos de espectro para exploração, atrás da Claro e da Vivo. Lógica similar foi utilizada para a distribuição de clientes: usando o exemplo de Sergipe, onde a TIM teria apenas 5% do mercado, Labriola argumentou que a repartição permitiria uma economia de escala melhor "que permite alavancar melhor os investimentos" em infraestrutura e mesmo em pontos de venda.
Torres

Já no caso da unidades de torres da Oi, a TIM sinalizou não haver interesse na compra do ativo (que tem proposta vinculante e "stalking horse" de R$ 1,066 bilhão feita pela Highline), mas pontuou que a há negociação "entrando no contrato para aluguel das torres". "Isso vai ajudar muito a não ter que desenvolver uma grande quantidade de torres nos próximos anos, lembrando a dificuldade no País de colocar novas torres. Em São Paulo, ninguém consegue instalar há três anos", pontuou o diretor financeiro da TIM, Adrian Calaza.

Fonte: portal Teletime


Internet Móvel 3G 4G
Desertos digitais no Brasil só acabam com Reforma Tributária

Para o presidente-executivo da Conexis Brasil Digital, Marcos Ferrari, e para Daniel Vilela, Diretor, Aliança Conecta Brasil F4, quando os projetos são colocados no papel, a tributação não permite fazer a conta fechar. Conectividade rural e educação são gargalos de investimentos.

Em três meses, Anatel e PF apreendem mais equipamentos irregulares que em todo 2019

Somente entre julho e setembro deste 2020 foram 243,7 mil equipamentos sem certificação, entre baterias, carregadores, TV boxes, smartwatches e conversores digitais com Wi-Fi.

Reordenamento do uso dos postes tem custo estimado em R$ 20 bilhões pela Anatel

Montante seria o necessário para adequar o uso dos postes em 1,4 mil cidades com mais de cinco prestadores de telecomunicações. Agência reguladora também propõe a criação de um operador neutro para a resolução dos conflitos existentes com empresas de Internet e distribuidoras de energia.

Receita faz a maior apreensão de TV box piratas do Brasil

Mais de 60 mil aparelhos foram apreendidos, o que representa um prejuízo superior a R$ 50 milhões ao crime organizado.

Anatel, por Covid-19, autoriza Claro a adiar lançamento de novo satélite

Lançamento do StarOne D2, que promete conexões em banda Ku e banda Ka, agora, pode acontecer até agosto de 2021.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G